Última hora

Última hora

Nigéria: seita islâmica usa reféns na linha de combate

Em leitura:

Nigéria: seita islâmica usa reféns na linha de combate

Tamanho do texto Aa Aa

Mulheres e adolescentes sequestradas pela seita islâmica Boko Haram, na Nigéria, são utilizadas na “linha de frente”, durante as lutas do grupo islâmico.

A denúncia vem no relatório da ONG Human Rights Watch, divulgado esta segunda-feira.

O documento reúne trinta testemunhos de ex-reféns que partilham os momentos sofridos em cativeiro.

“Estava em casa a embalar alimentos quando ouvimos tiros. Corremos, tentámos escapar mas eles cercaram-nos e apanharam-nos. E disseram-me que agora tinha de me converter ao Islão.”

Boko Haram raptou mais de 500 mulheres e meninas desde 2009 segundo o relatório.

“Eles dividiram-nos, os muçulmanos para um lado, e os quatro de nós, cristãos, para o outro. Eles libertaram os muçulmanos e retiveram-nos”.

O documento foi divulgado um dia depois do anúncio de que 30 adolescentes, meninos e meninas, alguns de apenas 11 anos, terem sido raptados no fim de semana em Borno.