Última hora

Última hora

Ébola: EUA revêem quarentena compulsiva

Em leitura:

Ébola: EUA revêem quarentena compulsiva

Tamanho do texto Aa Aa

Regressada de Serra Leoa a New Jersey, esta enfermeira foi obrigada sexta feira a ficar em quarentena sem que apresentasse sintomas de ébola. A medida densencadeou uma violenta polémica nos Estados Unidos.

Kaci Hickox que, entretanto, viu levantada a quarentena, tinha sido transferida do aeroporto para um hospital onde foi colocada em isolamento.

Autoridades de saúde dos Estados Unidos propuseram, após este incidente, novas medidas para controlar os viajantes que regressam de países afectados pelo vírus.

A controvérsia mereceu a intervenção do Secretário-Geral da ONU que pediu aos países que não “estigmatizem” os cuidadores que voltam da África Ocidental.

“ Esperamos que estas medidas sejam menos exageradas e que haja algumas diretrizes nacionais que ajudem os trabalhadores que querem ser úteis”.

Estas medidas dizem respeito a menos de cem pessoas que, por dia, chegam a um dos cinco aeroportos dos Estados Unidos, provenientes da Libéria, Serra Leoa e Guiné, os países mais afetado pela epidemia.