Última hora

Última hora

O drama espacial de Christopher Nolan

Em leitura:

O drama espacial de Christopher Nolan

Tamanho do texto Aa Aa

O realizador do premiado “Inception – A Origem” regressa à ficção científica com “Interstellar.”

Christopher Nolan imaginou um futuro onde as economias entram em colapso e a comida começa a faltar.

Face à catástrofe, a NASA lança-se numa missão de exploração espacial, a última esperança para a humanidade.

O argumento baseia-se nos estudos do físico Kip Thorne e nas teorias não provadas de Albert Einstein.

O filme custou mais de 120 milhões de euros. Foi preciso a Nolan usar argumentos convincentes para vender a ideia aos estúdios de Hollywood. “Eu disse-lhes que queria fazer um filme de ficção científica deslumbrante do ponto de vista mental e emocional, um filme em que o espetador se identificasse com as personagens. Queria combinar a esfera da intimidade e da interação humana e o lado da exploração da vastidão do universo. Para mim, trata-se de uma combinação fascinante e de um grande desafio para um realizador”, disse o realizador.

Matthew McConaughey e Anne Hathaway incarnam os papéis principais. “Este filme representa muitas coisas, ficção científica, drama familiar e íntimo, ação, aventura, é tudo isso e a algo muito próprio ao mesmo tempo”, referiu a atriz, enquanto o ator garante ter aprendido que “o espaço, o desconhecido, é mais tangível do que pensava antes.”

“Interstellar” chega às salas de cinema portuguesas a 6 de novembro.

“Trailer” oficial