Última hora

Última hora

Exército assume poder no Burkina Faso

Em leitura:

Exército assume poder no Burkina Faso

Tamanho do texto Aa Aa

O exército parece ter tomado o poder, no Burkina Faso, depois da destruição do parlamento por manifestantes. Mesmo se a destituição do presidente Blaise Compaoré não está confirmada, o chefe do Estado Maior das Forças Armadas anunciou a dissolução da assembleia.

Nabéré Honoré Traoré, figura cimeira das Forças Armadas burquinabês, deve assim tornar-se no novo homem-forte do país. O anúncio foi feito por um porta-voz do exército: “A Assembleia Nacional está dissolvida, o governo foi também dissolvido. Um órgão transitório vai ser nomeado, em concertação com todas as forças vivas da Nação, com vista a preparar as condições para um regresso à ordem constitucional normal, num prazo de, no máximo, 12 meses”.

Antes, o presidente do Burkina-Faso tinha decretado o Estado de Emergência, depois de ter desistdo de rever a constituição para poder continuar no poder.

Perante a onda de confrontos nas ruas, que causou vários mortos, o presidente Blaise Compaoré anunciou que abandona este projeto de revisão constitucional. Se este projeto fosse avante, isso permitiria a Blaise Compaoré continuar na presidência. Está no poder há 26 anos.

Os confrontos centram-se na capital, Ouagadougou, mas estenderam-se já à segunda cidade do país, Bobo Dioulasso, onde a câmara municipal e a sede do partido do governo foram incendiadas.

Depois de tomar o poder por golpe de Estado em 1987, Compaoré foi eleito quatro vezes. A atual constituição estabelece um limite de dois mandatos presidenciais.