Última hora

Última hora

Israel reabre Esplanada das Mesquitas mas à condição

Em leitura:

Israel reabre Esplanada das Mesquitas mas à condição

Tamanho do texto Aa Aa

Israel decidiu reabrir às primeiras horas desta sexta-feira o Monte do Templo ou Esplanada das Mesquitas, nome pelo qual é conhecido o santuário em Jerusalém que há 47 anos não era vedado. Foi-o na quinta-feira, devido à onda de violência entre jovens palestinianos e as forças de segurança israelitas, que alastrou pelos bairros vizinhos deste local sagrado para judeus, cristãos e muçulmanos. Agora, volta a abrir, mas por alegadas questões de segurança, mantém-se interdito a homens menores de 50 anos.

Os confrontos foram inflamados depois de a polícia ter morto um palestiniano suspeito da autoria do atentado de quarta-feira à noite contra Yehuda Glick, um ativista israelita de extrema-direita. O rabino, que detinha passaporte norte-americano, ficou gravemente ferido após ter sido baleado com vários disparos à saída de uma conferência onde tinha tinha estado a promover o direito dos judeus de rezar no que conhecem como Monte do Templo, o qual apenas é permitido a muçulmanos.

Apontado como principal suspeito, Moataz Hejazi, que trabalha no restaurante do centro onde Yehuda Glick participou na conferência, foi perseguido, apanhado e cercado pela polícia israelita num terraço do bairro de Abu Tor, em Jerusalém Oriental, uma zona reclamada pelos palestinianos para capital de um eventual futuro Estado da Palestina. O palestiniano, de 32 anos, terá resistido à ordem de detenção e inclusive aberto fogo sobre as autoridades. Acabou atingido mortalmente.

O funeral de Hejazi decorreu quinta-feira à noite, no meio de muitos gritos de protesto contra a atuação da polícia israelita.

O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, lamentou o ataque à mão armado de quarta-feira contra um cidadão americano – Yehuda Glick -, mostrou-se preocupado com o escalar da violência em Jerusalém, numa altura em que decorre uma sensível negociação de paz entre palestinianos e israelitas, e apelou à abertura do santuário.

“O compromisso de israelitas, palestinianos e jordanos para preservar o estatuto histórico deste lugar sagrado é crucial. Qualquer decisão ou ação que o possa mudar seria provocadora e perigosa. A Esplanada das Mesquitas ou Templo do Monte deve reabrir para os fiéis muçulmanos e eu apoio a prática seguida até agora no que toca aos muçulmanos que visitam o lugar”, disse John Kerry. Após este apelo, Israel decidiu recuar e reabrir o santuário conhecido no mundo islâmico como Esplanada das Mesquitas.