Última hora

Última hora

Em leitura:

Arábia Saudita: Wadi Hanifah o renascimento de um oásis urbano


life

Arábia Saudita: Wadi Hanifah o renascimento de um oásis urbano

Um vale que dá uma nova vida ao povo de Riade. No Wadi Hanifah, há um rio poluído mas que renasce no coração de uma nação desértica.

Este vale, que se estende de norte a sul da capital da Arábia Saudita, está a rejuvenescer graças a um projeto da Autoridade de Desenvolvimento de Riade.

Os 120 km do vale são hoje muito diferentes daquilo que eram. Outrora, Wadi Hanifah, foi um depósito de lixo e um sério risco para saúde. O povo de Riade tinha virado as costas a um dos seus maiores recursos naturais:

“Historicamente, Wadi Hanifah era um recurso ambiental para os povos antigos. Mas o desenvolvimento da cidade levou à deterioração do vale, as pessoas vinham deixar aqui entulho e há também o impacto das fábricas, da atividade industrial e da poluição, por parte dos agricultores”, explica Saud al Ajmi, gestor ambiental de projeto da Alta Comissão para o Desenvolvimento de Riade.

O projeto de reabilitação introduziu uma série de medidas para recuperar o local e transformá-lo numa mais-valia para a cidade. Foram construídas barragens, para regular o fluxo das águas. O sistema rodoviário foi redesenhado, com mais de 40 quilómetros de novas estradas. Foi criada sinalização, ao longo do vale, para os visitantes e foram plantadas dezenas de milhares de árvores e arbustos.

O renascimento do vale teve enormes benefícios para a população de Riade, incluindo para os homens que ganham a vida com culturas, junto à margem do rio.

“É possível que não se tenha apercebido mas existem centenas de variedades de tâmaras e esta é uma delas. Como pode ver, ela tem dois tons, o que significa que o processo de amadurecimento já começou. Podem comer-se maduras ou secas.

Este é o sabor real da Arábia Saudita. Neste caso sente-se um sabor adocicado, perfeito. É uma daquelas frutas que quando se começa a comer não se quer parar”, adianta o repórter da euronews Paul McDowell.

“Eu sou um cliente frequente. Compro tâmaras nesta quinta. Antigamente, este vale era um lugar esquecido mas, depois das melhorias, as quintas ganharam visibilidade e tornaram-se mais acessíveis. O desenvolvimento deste projeto transformou este vale num lugar bonito. Em venho aqui e sinto-me como num resort”, diz Bandar Al Jomah.

O sistema, aqui desenvolvido, chamado de biorremediação, uma forma de auto limpeza de águas tóxicas, com plantas e seres marinhos para, digamos, “matarem”, aquilo que é nocivo nestas águas, ganhou vários prémios internacionais.

“Este sistema funciona a diversos níveis, no primeiro estão organismos como as algas, no segundo temos outras plantas, no terceiro temos os pássaros, os peixes e todos eles ajudam a limpar estas águas, comendo aquilo que torna a água tóxica. Funcionamos assim, nas nossas casas, quero dizer, cada um tem um papel no seio da família e só assim podemos ter uma família feliz”, afirma o engenheiro Badr Al-Tamimi.

As técnicas usadas aqui não são novas, mas nunca tinham sido utilizadas, em conjunto, em tão larga escala:

“É incrível pensar que, há seis horas atrás, esta água veio do esgoto e era algo em que ninguém queria tocar. Agora, graças à ajuda da natureza, é perfeitamente seguro utilizar esta água e ela é translúcida”, adianta Paul McDowell.

Um piquenique em família é um passatempo usual em Riade e este lugar tornou-se num dos preferidos. Foram já criados sete grandes parques e outros dois estão em construção.

“Sempre vivi em Riade e este tipo de locais não existiam. Saí da cidade e fiquei surpreendido ao ver a limpeza, a forma como tudo está organizado aqui, as árvores, o pavimento, temos privacidade”, diz Abdul Asaiad, um dos visitantes.

O Wadi Hanifah recuperou a vida e está no centro da comunidade. No próximo programa vamos visitar a cidade de Riade, junte-se a nós, na euronews, para ver como o antigo e o moderno se fundem.

Escolhas do editor

Artigo seguinte
Que segredos guarda Samarcanda?

life

Que segredos guarda Samarcanda?