Última hora

Última hora

Eleições intercalares nos Estados Unidos marcadas por descrença dos norte-americanos

Em leitura:

Eleições intercalares nos Estados Unidos marcadas por descrença dos norte-americanos

Tamanho do texto Aa Aa

Rumo às eleições intercalares de 4 de novembro, a campanha intensifica-se nos Estados Unidos. As atenções estarão voltadas para pequenas cidades como Fairfax, no estado da Virgínia.

Comunidades como esta terão um papel importante em modelar os dois anos remanescentes de Barack Obama na presidência.

A popularidade do chefe de Estado está em queda. Dois terços dos eleitores acreditam os Estados Unidos se encontram no caminho errado.

As sondagens indicam que os Republicanos deverão manter a maioria dos lugares na Câmara dos Representantes, mas também poderão vir a tirar a maioria do Senado aos Democratas.

A ser assim, o impasse institucional entre Obama e o Congresso promete intensificar-se.

“A economia melhorou, mas isso não se traduziu em mais empregos. Por isso muitas pessoas continuam sem trabalho. O mercado de ações são os acionistas. Isso é um aspeto diferente, eles são os beneficiários”, explica Toni-Michelle Travis, professora de política na Universidade George Mason.

Um dos lugares no Senado que os Republicanos têm debaixo de olho é o do Estado da Virgínia. Este Estado tem vindo a tornar-se gradualmente importante ao longo das últimas eleições.

A Virgínia votou por duas vezes em Obama e elegeu recentemente um governador democrata.

Os dois senadores atuais são democratas, apesar de um deles, Mark Warner, lutar pela reeleição.

Pela frente tem uma batalha difícil contra Ed Gillespie, ex-presidente do Partido Republicano.

Stefan Grobe, Euronews: “Apesar dos números económicos fortes, existe um sentimento generalizado de inquietação e insegurança na Virgínia e no resto do país. Muitos norte-americanos acreditam que a administração Obama subestimou crises com a do autoproclamado Estado Islâmico ou do vírus Ébola e até as falhas dos Serviços Secretos. Por isso, os democratas poderão ser castigados.”