Última hora

Última hora

EUA: Uma vitória prevista mas com um gosto amargo para os democratas

Em leitura:

EUA: Uma vitória prevista mas com um gosto amargo para os democratas

Tamanho do texto Aa Aa

Mitch McConnell é o rosto da vitoria republicana. Aos 72 anos, o senador do Kentucky, é o novo líder da maioria no Senado, lugar ao qual ambicionava chegar há três décadas.

Os republicanos conseguiram aquilo que as sondagens previam e que os democratas não evitaram: reforçar a maioria na Câmara dos Representantes e assumir o controlo do Senado:

“Esta noite, disseram que pode haver uma verdadeira mudança em Washington e é isso que eu pretendo fazer. Por isso, hoje vira-se uma página e o futuro que eu vejo é brilhante. Os americanos viram o que a atual gestão, em Washington, está a oferecer está a tornar-nos mais fracos, tanto interna como externamente. Já chega!”, afirmou McConnell.

Foram vários os Estados que contribuíram para a derrota dos democratas:

O Iowa, onde a republicana Joni Ernst, veterana da guerra do Iraque, bateu Bruce Braley, o sucessor de Tom Harkin. Ernst será a primeira mulher a representar Iowa no Senado dos EUA.

O Arcansas, onde o republicano Tom Cotton, superou o senador democrata Mark Pryor.

Cory Gardner venceu no Colorado, até aqui, também dominado pelos democratas.

As eleições Intercalares, nos Estados Unidos da América, funcionam como um escrutínio, um teste às políticas do Presidente e, pelos resultados, os eleitores não as veem com bons olhos.