Última hora

Última hora

Turistas e alemães partilham memórias 25 anos depois da queda do Muro de Berlim

Em leitura:

Turistas e alemães partilham memórias 25 anos depois da queda do Muro de Berlim

Tamanho do texto Aa Aa

25 anos depois da queda do Muro de Berlim, a Porta de Brandemburgo continua a ser um dos símbolos vivos da antiga separação da Alemanha, bem como da posterior reunificação.

Na reta final para as festividades do fim-de-semana, o monumento é um dos mais fotografados, tanto por turistas, como alemães.

Um turista francês diz que viu “aqui o Muro, quando ele estava na primeira fase, no primeiro ano de construção. Foi a 13 de agosto de 1962. O Muro era mais baixo, ainda não havia a parte arredondada por cima, mas já era uma visão horrível”.

Uma alemã da parte ocidental de Berlim explica que viu “os tanques e era bastante impressionante. É incrível estar aqui hoje, 25 anos depois da queda do Muro”. Diz que nunca pensou “que veria chegar este dia, mas viu e isso foi ótimo”.

Outro, da parte oriental, explica que “era o fim da estrada. Era como uma estação no fim de uma linha ferroviária; a Porta de Brandemburgo era a fronteira. Podíamos olhar para ela, mas não podíamos atravessar. Se parávamos, os soldados diziam-nos para continuar a caminhar”.

Hoje em dia, atravessar a Porta de Brandemburgo não tem nada de complicado, embora nesta época festiva, muitos não resistam a parar em contemplação.

O correspondente da euronews, Olaf Bruns, diz que “mesmo 25 anos depois, as memórias dos tempos da separação continuam vivas. Mas este fim-de-semana está centrado na reunificação e será uma grande festa”.