Última hora

Última hora

Catalunha: "referendo alternativo" poderá regressar à barra dos tribunais

Em leitura:

Catalunha: "referendo alternativo" poderá regressar à barra dos tribunais

Tamanho do texto Aa Aa

A “jornada histórica”, puramente simbólica dos independentistas catalães pode terminar na barra dos tribunais. Milhares de pessoas começaram a votar, esta manhã, na “consulta alternativa” sobre a independência da Catalunha, depois do governo de Madrid e do Tribunal Constitucional espanhol terem rejeitado um referendo.

O líder catalão votou esta manhã em Barcelona, minutos depois do partido minoritário UPyD ter aberto um processo contra Artur Mas e outros líderes regionais por, “desobediência, prevaricação e omissão do dever de perseguir delitos”.

Em causa está a utilização de edifícios públicos durante o sufrágio, sem comissão nem lista eleitoral, mas com uma centena de “observadores” internacionais, que é igualmente alvo de um inquérito aberto ontem pela justiça espanhola.

O voto foi abalado por um incidente em Girona, quando cinco homens encapuzados tentaram roubar uma urna de voto, por entre gritos de “Viva Espanha”. Os quatro homens foram interpelados pela polícia.

No twitter, o presidente da Câmara de Girona condenou a ação “fascista”:


Em paralelo, Madrid foi palco, ao início da tarde, de uma manifestação, contra a consulta popular e em defesa da “unidade de Espanha”.

O resultado do referendo deverá ser conhecido só na segunda-feira, num momento em que as sondagens mostram uma divisão do eleitorado sobre o tema que poderia dar lugar à convocação de eleições antecipadas no território, quando alguns independentistas mais radicais não escondem a vontade de assistir a uma declaração unilateral de independência.