Última hora

Última hora

Expedição 41 na Estação Espacial Internacional chega ao fim com sucesso

Em leitura:

Expedição 41 na Estação Espacial Internacional chega ao fim com sucesso

Tamanho do texto Aa Aa

Aterraram sãos e salvos, nas estepes do Cazaquistão, três dos seis astronautas que estavam a bordo da Estação Espacial Internacional, cumprindo a intitulada Expedição 41. O alemão Alexander Gerst, o russo Maxime Souräiev e o norte-americano Reid Wiseman tinham deixado a Terra a 29 de maio, passaram seis meses a trabalhar a bordo da ISS, sigla inglesa pela qual é conhecida a Estação Espacial Internacional, e regressaram esta segunda-feira.


Pouco depois de aterrar, Alexander Gerst já “tuitava” o “maravilhoso” que era “o cheiro do planeta Terra”. “É bom estar de volta”, rematava o astronauta alemão que fomos seguindo aqui na euronews, através do Twitter, rede social onde Gerst publicou nos últimos seis meses, entre muitas outras imagens, algumas das mais espetaculares fotografias de Portugal e da Península Ibérica. Sempre, claro, da perspetiva do espaço.


Mantém-se a bordo da ISS três outros astronautas, ali chegados em setembro: o comandante Barry Wilmore, dos Estados Unidos, e os engenheiros de voo russos Elena Serova e Alexander Samoukutyaev. A 23 de novembro, está prevista a partida dos restantes três que vão completar a tripulação da intitulada Expedição 42: os engenheiros de voo Terry Virts (Estados Unidos), Anton Shkaplerov (Rússia) e Samantha Cristoforetti (Itália).


Uma cooperação de 100 mil milhões
Estes voos de ida e volta são garantidos em exclusivo desde 2011 pelas naves russas Soyuz, com o valor de cada lugar para um astronauta avaliado em cerca de 71 milhões dólares (57 milhões de euros). Em setembro, contudo, a NASA (Agência Espacial norte-americana) assinou um novo contrato com a Boeing e a SpaceX com vista ao transporte de astronautas para a ISS, com estes lugares avaliados em 20 milhões de dólares (16 milhões de euros). A primeira viagem das naves americanas está prevista para 2017.


A Estação Espacial Internacional é um projeto de investigação espacial que envolve um investimento de mais de 100 mil milhões de dólares (80,2 mil milhões de euros) e no qual colaboram cinco agências espaciais: a NASA (Estados Unidos), a Roscosmos (Rússia), a JAXA (Japão), a ESA (Europa) e a CSA (Canadá). A bordo da ISS já estiveram astronautas de 15 nacionalidades, incluindo um brasileiro, Marcos Pontes, o primeiro lusófono a viajar no espaço (2006).

Equipas de seis astronautas ocupam a estrutura em rotações de seis meses desde há 14 anos. Ao todo, a distância já percorrida pela ISS na órbita da Terra é equivalente a oito viagens de ida e volta ao sol. Foram quase 60 mil voltas ao planeta Terra, equivalentes a mais de 24 mil milhões de quilómetros.