Última hora

Última hora

Loïck Peyron mais perto da vitória na Rota do Rum

Em leitura:

Loïck Peyron mais perto da vitória na Rota do Rum

Tamanho do texto Aa Aa

Já falta muito pouco para a chegada do primeiro velejador à meta da regata Rota do Rum, instalada ao largo da Guadalupe. A menos que aconteça algo de inesperado, a vitória deve sorrir a Loïck Peyron.

“O futuro vencedor da décima edição da Rota do Rum deve chegar à meta, instalada a poucas centenas de metros do sítio onde estou, frente à praia Créole, em Gosier. Vai, depois, chegar ao coração de Pointe-à-Pitre, frente à Place de la Victoire. Antes disso vai ter de contornar uma parte da ilha da Guadalupe, com um relevo complicado, que pode pregar algumas partidas, nomeadamente o vulcão de La Soufrière”, relata o enviado especial da euronews, Rémi Pelletier.

O diretor da regata, Gilles Chiorri, analisa as hipóteses de Peyron: “Há várias escolhas táticas que pode fazer. Pode simplesmente dar uma volta larga, para evitar a frente da ilha, o que implica um percurso maior, mas no entanto tem a garantia de ter vento. Também pode fazer um percurso mais direto e esperar ter ventos contrários. Vai ser uma trajetória tensa. É preciso não esquecer que há uma bóia, ou seja, um ponto de passagem obrigatório, em Basse Terre. O vulcão é muito alto e vai haver pouco vento no sítio onde o primeiro barco vai passar. São ventos muito irregulares, por isso vai ter de haver um trabalho de manobra importante”.

“A receita é uma mistura de sorte, mas também de saber navegar e não desperdiçar a meteorologia. Loïck fez um belo percurso nas primeiras 24 horas. Depois tornou-se muito mais fácil para ele, sobretudo quando passou pelo anticiclone dos Açores, o que lhe permitiu ganhar vantagem a uma certa altura. É preciso ver que ele não fez erros até agora e penso que não vai fazer até à chegada, porque é um excelente velejador”, diz Franck Cammas, vencedor da edição de 2010.