Última hora

Última hora

Obras de arte limpas graças ao laser

Em leitura:

Obras de arte limpas graças ao laser

Tamanho do texto Aa Aa

O Museu do Vaticano adotou uma nova tecnologia laser para limpar as obras de arte.

O laboratório de mármores restaura atualmente uma estátua da Fortuna, a deusa romana da sorte.

Além de ser uma técnica não invasiva, a limpeza com laser pode ser combinada com os métodos de limpeza tradicionais.

Guy Devreux, diretor do Laboratórios de Mármores do Vaticano, sublinha que o laser não muda radicalmente a forma de trabalhar mas permite uma intervenção mais detalhada.

“Esta nova tecnologia é brilhante em termos dos resultados que conseguimos obter mas não é uma cura milagrosa. Continuamos obviamente a fazer o que fazíamos até agora. O laser dá-nos algo suplementar no sentido em que nos permite afinar o processo de limpeza. Isso permite uma limpeza que não seria possível com outro sistema”, explicou Guy Devreux.

Graças à terapia laser, um sarcófago que se encontrava degradado e sujo voltou a recuperar um pouco do antigo esplendor.

Antes de iniciar o processo de limpeza, é necessário realizar testes para garantir que os feixes de luz não penetram nas obras de arte. Há objetos sensíveis, como é o caso das plumas.

“Temos muitas plumas no museu. São um artefacto que dá vários problemas em termos de limpeza. As plumas são muito delicadas e os métodos de limpeza tradicionais, nomeadamente os mecânicos, como a microaspiração ou os químicos, como os solventes, nem sempre podem ser usados”, explicou Catherine Riviere, técnica do laboratório.

O museu do Vaticano integra obras de arte escolhidas pelos papas desde a época da Renascença. O laboratório de restauro faz investigação sobre vários tipos de matérias, incluindo pintura, bronze, mármore e tapeçaria.