Última hora

Última hora

Rota do Rum: Peyron em exclusivo com Ricardo Diniz desclassificado

Em leitura:

Rota do Rum: Peyron em exclusivo com Ricardo Diniz desclassificado

Tamanho do texto Aa Aa

Loïck Peyron foi o primeiro a chegar a Guadalupe e fez estalar a festa neste departamento ultramarino francês nas Caraíbas. O francês venceu a 10.a edição da Rota do Rum, regata transatlântica em solitário, que pela primeira vez contou com um português, Ricardo Diniz.


A bordo do “Maxi Solo Banque Populaire”, o francês, de 54 anos, estabeleceu um novo recorde da prova, cumprindo um trajeto de quase 4200 milhas – entre Saint-Malo, em França, e Pointe-à-Pitre, nas Caraíbas – em sete dias, 15 horas, oito minutos e 32 segundos, batendo o máximo anterior estabelecido em 2006 por Lionel Lemonchois (7 dias, 17 horas, 19 minutos e seis segundos).


À chegada, Peyron tinha à espera o enviado especial da *euronews” a Pointe-à-Prince, para uma entrevista exclusiva.

euronews, Remi Pelletier: O que nos pode deste trajeto impecável?
Loïck Peyron: Ah, que bela trajetória! Adoro rotas sem obstáculos. Trabalhei bem com os meus colegas de equipa em terra, Armel Le Cléac’h e Marcel van Triest. A rota prevista resultou impecável. Houve momentos em que foi preciso atacar. Em particular, no início, em que tivemos de ganhar avanço para perceber o que éramos capazes com estas grandes máquinas. Este barco é genial. Verdadeiramente fabuloso. Não estou, de facto, muito habituado a este género de veleiro, mas aprendi depressa. Adaptei-me rápido ao barco.

Ter experiência ajudou?
Claro, mas não estou bem certo que experiência é essa. Estranhamente, há muitos fatores, mas resume-se – penso – a algumas sensações: Não sei por que razão faço este ou aquele movimento. Não penso sequer no que faço. Procuro antecipar o que se vai passar, depois decido e faço o movimento. Mas nem tudo foi perfeito. Perdi muito tempo com pequenos erros. Mas a experiência permitiu-me cometer menos erros que os outros.


Português infringe regras e é desclassificado
Sem o brilho de Peyron e triste por não poder terminar esta primeira experiência na Rota do Rum, o português Ricardo Diniz, que na quinta-feira se viu obrigado a procurar refúgio na Corunha, seguia em último na classe “Rum” e foi informado no domingo de que estava desclassificado por ter “infringido determinadas regras marítimas afetas à regata”, lê-se na página oficial de Facebook do velejador luso.

“Sei bem o que fiz e sei bem porque o fiz. Explicarei tudo quando chegar a terra”, prometeu Diniz, no domingo à noite, já a caminho de Peniche, em Portugal. A página de internet CourseAuLArge, especializada em desporto à vela, avança que o velejador português terá violado a regra da Rota do Rum de navegar contra o sentido da regata depois de passar o dispositivo de separação de tráfego naval ao largo da ilha de Ouessant, tendo o júri deliberado e decidido desclassificar o barco “Parisasia.fr”, de Diniz.