Última hora

Última hora

França: Dia do Armistício

Em leitura:

França: Dia do Armistício

Tamanho do texto Aa Aa

França lembra hoje os 580.000 soldados, de todas as nacionalidades, mortos no norte do país e cujos nomes estão gravados neste memorial na necrópole de Notre-Dame-de-Lorette.

Em 1916, as tropas francesas partem para o sudeste, Verdun, para outra luta. São os britânicos que asseguram a linha de frente em Pas-de-Calais.

Em Arras, capital da região as pedreiras de calcário escavadas no século 17, irão retomar o serviço.

Foi o caso do subterrâneo de vinte metros na carreira de Wellington.

“A ideia era esconder 24.000 homens neste subterrâneo e surpreender os alemães que não tinham ideia da presença de pedreiras subterrâneas, é um verdadeiro queijo, um labirinto de 20 km. “

Durante seis meses, escavadeiras e picaretas abriram oitenta metros por dia de caminho para interligar os diferentes túneis.

“Temos de imaginar que eles faziam tudo aqui, as suas necessidades, dormiam e comiam no local.”

Os vestígios desta passagem ainda estão aqui. Marcas de história que o tempo conservou.

A enviada da euronews reporta: “A nove de abril de 1917, seis e meia da manhã, 24 mil homens vão surgir de uma saída igual a esta. Lá fora, as metralhadoras alemãs, os bombardeamentos e a neve esperavam por eles. No entanto, são eles que vão surpreender o inimigo alemão. “

Dia do Armistício: siga as comemorações em direto a partir das 14:30