Última hora

Última hora

Aumenta a tensão entre Kiev e Moscovo

Em leitura:

Aumenta a tensão entre Kiev e Moscovo

Tamanho do texto Aa Aa

Kiev e Moscovo trocaram acusações sobre violações do cessar-fogo acordado com os separatistas pró-russos.

A Ucrânia acusou a Rússia de enviar soldados e armamento para ajudar os rebeldes a lançar novas ofensivas, num conflito que já fez mais de 4000 mortos.

A trégua assinada a 5 de setembro está em risco de chegar ao fim.

“A fronteira entre a Ucrânia e a Rússia, sob a constante vigilância independente da OSCE, é regularmente atravessada por forças regulares russas. Os últimos dias têm claramente provado que drones utilizados pela missão da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) foram atingidos por rebeldes a partir de territórios que não são controlados pelo exército ucraniano”; afirmou o Presidente ucraniano, Petro Poroshenko.

Por seu lado, Moscovo negou as acusações de que é alvo e avisou que o recomeço das hostilidades contra os separatistas pró-russos seria catastrófico para a Ucrânia.

“Digo muito francamente, e oficialmente também, que não existe nenhuma movimentação de tropas através da fronteira, e, mais ainda, não existem soldados russos no território do sudeste da Ucrânia. Nunca houve, nem há”, sublinhou o porta-voz do ministério russo dos Negócios Estrangeiros, Alexander Lukashevich.

Após uma reunião de urgência do Conselho de Segurança, as Nações Unidas alertaram para o regresso de conflitos em grande escala à zona leste da Ucrânia.

A 26.ª reunião consagrada à crise ucraniana foi convocada a pedido dos Estados Unidos para examinar as acusações de incursões militares russas no leste da Ucrânia, confirmadas pela NATO e OSCE.