Última hora

Última hora

Eurodeputados criticam envio de navio turco para águas de Chipre

Em leitura:

Eurodeputados criticam envio de navio turco para águas de Chipre

Tamanho do texto Aa Aa

O Parlamento Europeu criticou o governo da Turquia pelo envio, há cerca de um mês, de um navio de vigilância para a zona marítima económica exclusiva de Chipre, que é um Estado-membro da União Europeia (UE).

Numa resolução não vinculativa, votada esta quinta-feira, os eurodeputados dizem que a Turquia não pode travar o direito à exploração de recursos naturais.

O eurodeputado cipriota Dimitris Papadakis disse que “não é possível que a Turquia – que quer ser membro da UE – continue a agir de forma autoritária, como se fosse o polícia da região, em detrimento dos países de menor dimensão”.

A Turquia enviou o barco porque Chipre quer explorar jazidas de gás natural em águas territoriais disputadas e argumenta que os cipriotas turcos do norte da ilha não foram consultados.

O embaixador da Turquia para a União Europeia, Selim Yenel, disse que “o Parlamento Europeu tomou uma decisão lamentável sobre algo fora da sua competência e no momento menos oportuno. É uma resolução sem utilidade, que não ajuda ninguém e que a Turquia não reconhece”.

A Turquia controla o norte da ilha de Chipre, que invadiu em 1974, criando uma disputa sobre soberania que permanece até hoje.

A correspondente da euronews em Bruxelas, Efi Kotsoukosta, acrescenta que “em resposta a esta atitude da Turquia, o governo cipriota decidiu suspender as negociações com a parte da ilha controlada pelos turco-cipriotas. Chipre insiste que ambos os lados vão poder beneficiar da exploração do gás se houver um acordo de paz”.