Última hora

Última hora

Os capitães de Guadalupe na Rota do Rum

Em leitura:

Os capitães de Guadalupe na Rota do Rum

Tamanho do texto Aa Aa

A 10.ª edição da Rota do Rum – Destino Guadalupe, contou com 6 barcos comandados por capitães locais. Hoje, vamos conhecer melhor dois destes navegadores das caraíbas e um dos seus mecenas.

Philippe Fiston comanda o ‘Ville Saint-Anne’, nome de uma cidade de Guadalupe que quer apostar no mar:
“O mar é uma coisa extraordinária. Existem várias profissões como a minha, que sou capitão. Com este barco, o Saint-Anne, vamos poder formar os jovens que, por exemplo, querem tirar um diploma nesta área para poderem ‘conquistar’ o mar”.

Christian Baptiste, Presidente da Câmara de Saint-Anne, Guadalupe:
“Queremos que este evento incite os jovens a descobrir as artes do mar. Saint-Anne pode vir a ser uma das grandes cidades voltadas para o mar e o Phillipe estará seguramente lá, para acompanhar no futuro os jovens que quiserem seguir carreira no mar, em particular os que quiserem ser capitães de profissão”.

Nicolas Thomas, Capitão do ‘Guadeloupe Grand Large 1001 Piles’, é um dos mais jovens em prova, tem 24 anos:

“Acabar a Rota do Rum é já uma vitória para mim até porque aqueles que não terminarem, não vão ter classificação. Primeiro, vou tentar acabar, mas vou dar o máximo para estar na frente. Para isso, tenho de chegar aos ventos alísios e uma vez na região intertropical é um pouco como se já estivesse em casa: vai fazer calor, a água será quente e a última etapa é a volta a Guadalupe, que conhecemos bem e que será uma vantagem para mim”.

No entanto, quinta-feira à noite, Nicolas Thomas estava ainda longe dos trópicos, entre a Madeira e as Canárias, numa discussão renhida pelo último lugar na Rota do Rum.