Última hora

Última hora

A revolta dos patinhos feios, o recorde de Ronaldo e o trauma francês chamado Kostadinov

Em leitura:

A revolta dos patinhos feios, o recorde de Ronaldo e o trauma francês chamado Kostadinov

Tamanho do texto Aa Aa

O fim de semana futebolístico ficou marcado pelos jogos de qualificação para o Euro 2016 e pela revolta dos patinhos feios do futebol europeu.

Habituados a ser o bombo da festa, qualquer resultado que não fosse a derrota era digno de notícia. Há mesmo quem exija a criação de uma segunda divisão europeia para não ter de jogar contra eles. A vingança foi servida este fim de semana.

O Liechtenstein nunca tinha ganho um jogo fora na qualificação para o Campeonato da Europa. Fê-lo agora na Moldávia e Franz Burgmeier foi o herói. O capitão apontou o único tento da partida na marcação irrepreensível de um livre direto.

Em Atenas, as Ilhas Faroé deixaram os espetadores no Estádio Karaiskákis em estado de choque ao conquistarem os três pontos graças a um tento solitário de Joán Edmundsson. Dez anos depois de chegar ao topo do futebol europeu em Lisboa, a Grécia sofreu uma das maiores humilhações e caiu para o último lugar do grupo.

A surpreendente vitória foi festejada a preceito pelos jogadores das Ilhas Faroé.

(function(d, s, id) { var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)0; if (d.getElementById(id)) return; js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = “//connect.facebook.net/en_GB/all.js#xfbml=1”; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs); }(document, ‘script’, ‘facebook-jssdk’));Post by FSF – The Faroe Islands Football Association.

A maior surpresa, no entanto, veio de São Marino. Depois de dez anos a perder todos os jogos, e normalmente por números bastante pesados, a equipa da casa conseguiu finalmente conquistar um ponto.

O guarda-redes Aldo Simoncelli defendeu tudo o que havia para defender e segurou o nulo frente à Estónia. Não venceram, é certo, mas colocaram um ponto final a uma série de 61 derrotas consecutivas.

A última vez que São Marino conseguiu escapar à derrota num encontro internacional tinha sido a 28 de abril de 2004, quando se impôs ao Liechtenstein num amigável graças a um tento solitário de Andy Selva.

Ronaldo bate mais um recorde

Com as seleções nacionais em campo, o Ases e Azelhas é dedicado a elas e quem brilhou mais até foi um português.

O golo de Cristiano Ronaldo frente à Arménia valeu mais que três pontos. Foi o seu 23º numa partida relativa ao Campeonato da Europa e colocou-o no topo da lista de goleadores da competição, ultrapassando Jon Dahl Tomasson e Hakan Şükür.

O selecionador grego Claudio Ranieri ficou sem palavras após a derrota frente às Ilhas Faroé e ficou também sem emprego menos de quatro meses depois da chegada. O saldo não é famoso, quatro jogos, um empate e três derrotas.

Também Dick Advocaat perdeu o emprego após quatro jogos ao comando da Sérvia. O holandês pediu a demissão após a derrota frente à Dinamarca, em Belgrado. Deixa a equipa na penúltima posição do grupo I com apenas um ponto conquistado.

Kostadinov deixa o Parque dos Príncipes à beira de um ataque de nervos

A 17 de novembro de 1993 quase 50 mil espetadores esgotaram o Parque dos Príncipes para ver a França defrontar a Bulgária e carimbar o passaporte para o Campeonato do Mundo dos Estados Unidos.

Um ponto nos dois últimos jogos era suficiente mas os gauleses já tinham desperdiçado a primeira oportunidade ao serem surpreendidos em Paris por Israel.

Na derradeira oportunidade, tudo parecia correr pelo melhor quando Éric Cantona colocou a equipa da casa em vantagem à passagem da meia hora de jogo.

Emil Kostadinov fez questão de estragar a festa e empatou o encontro apenas seis minutos depois. O nervosismo crescia sem parar nas hostes francesas e o momento que toda a gente temia aconteceu já nos descontos.

Kostadinov fuzila Bernand Lama na sequência de um contra-ataque fulminante e coloca a Bulgária nos Estados Unidos com uma vitória por 2-1. A Bulgária acabou por ser uma das revelações nos Estados Unidos e terminou na quarta posição.

Provavelmente estamos errados

No próximo fim de semana o futebol europeu regressa ao normal e o nosso grande destaque vai para a visita do Manchester United ao terreno do Arsenal.

Louis van Gaal pediu três meses para reconstruir o Manchester United mas já reconheceu que não era suficiente. Os adeptos começam a perder a paciência, as boas exibições tardam em chegar a Old Trafford, ainda assim, apostamos numa vitória em Londres por 2-1.

Não corra a fazer a sua aposta, no entanto, o mais provável é estarmos errados. Pode dar a conhecer as suas previsões usando a hashtag #TheCornerScores nas redes sociais.