Última hora

Última hora

Milhares de gregos manifestam-se nas ruas de Atenas

Em leitura:

Milhares de gregos manifestam-se nas ruas de Atenas

Tamanho do texto Aa Aa

Dez mil pessoas, segundo a polícia grega, manifestaram-se, esta segunda-feira, em Atenas, em resposta ao apelo dos sindicatos e partidos de esquerda, para participarem no evento que comemorou o 41º aniversário da revolta estudantil que derrubou a junta militar:

“Faz parte de uma tradição para relembrar a revolta estudantil, de março de 1973, que se transformou num protesto contra as políticas do governo. Depois de quase cinco anos de austeridade e desemprego elevado, os manifestantes aproveitaram a oportunidade para, eles também, protestarem contra as políticas económicas e sociais do atual executivo de coligação”, explica Stamatis Giannisis, correspondente da euronews em Atenas.

Cerca de 7 mil policiais foram mobilizados para controlar o centro da cidade. Várias estações de metro foram encerradas. Houve alguns confrontos mas, nem assim, os gregos abandonaram as ruas:

“Temos de continuar unidos para manter vivo o espírito desta iniciativa e não torná-la numa questão partidária”, afirma uma jovem grega.

“Os acontecimentos de 1973 tornaram-se intemporais. Eles ensinaram-nos que só perde uma batalha quem nunca lutou”, desabafa um grego.

Como todos os anos, a Embaixada dos Estados Unidos não escapou à manifestação para relembrar o papel dos seus serviços secretos na ditadura imposta de 1967 a 74 e que culminou, ainda em 73, numa intervenção das forças de segurança, numa manifestação na Escola Politécnica de Atenas, a 17 de novembro de 1973, e que terminou em massacre.