Última hora

Última hora

Edifícios de origami dobram como borracha

Em leitura:

Edifícios de origami dobram como borracha

Tamanho do texto Aa Aa

Os edifícios são rígidos e imóveis. Mas no futuro, podem vir a ser construídos com um polímero que consegue mudar de forma e expandir-se consoante as alterações de temperatura. Investigadores do Instituto de Arquitetura Avançada de Barcelona lançaram as bases com um edifício protótipo de origami que se dobra e expande com as altas temperaturas. Procuraram um material com a capacidade de dobrar e de voltar à forma inicial.

O projeto conhecido como “Translated Geometries” utiliza telhas triangulares, para compensar a estrutura origami. A equipa pode, assim, criar o movimento em cada ponto ou nó da estrutura. O polímero é aquecido diretamente usando cabos elétricos. Uma vez que a temperatura ultrapassa os 62 graus Celsius, torna-se elástico, permitindo que a construção se dobre e torça.

Drones ligados à estrutura giram à sua volta e esticam-na até à posição desejada. Depois mantêm a estrutura no novo formato, durante dois minutos, enquanto arrefece: “Podemos levar as nossas casas connosco e podemos transformá-las de acordo com as necessidades: se família for grande é preciso aumentar a casa. Ou ajustar a transparência de acordo com a luz e temperatura exteriores… Portanto, a nossa casa seria capaz de se adaptar a tudo isto. Poderíamos mesmo colocá-la no bolso, desdobrá-la e criar uma estrutura tridimensional”, explica Areti Markopoulou.

É improvável ver prédios inteiros construídos com o protótipo “Translated Geometries” num futuro próximo. Mas o princípio pode ser aplicado a algumas partes de um edifício.

A situação dos refugiados sírios inspirou o projeto de final de curso de James Roberts. Uma incubadora de baixo custo para salvar a vida a bebés prematuros. As incubadoras tradicionais custam aproximadamente 40 mil euros. A solução dele foi uma incubadora insuflável. Fácil de limpar e compacta. Com um preço final a rondar os 300 euros: “É uma peça de ar isolada, é como a diferença entre vidros duplos e simples, por isso é mais fácil manter o interior a uma temperatura ambiente estável, a uma temperatura quente. O tamanho da incubadora pode muito reduzido quando é comprimido, é insuflável, o que poupa dinheiro em custos de transporte. Não é preciso muito espaço num avião. Podem ser transportadas em pacotes de ajuda já utilizados, portanto é muito mais barato.”

Roberts diz ter recebido uma reação extremamente positiva por parte de organizações de ajuda humanitária, mas ainda precisa de mais algum tempo, para desenvolver este protótipo.

Mais sobre hi-tech