This content is not available in your region

Líbano apanha mulher e filho do líder do grupo Estado islâmico

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Líbano apanha mulher e filho do líder do grupo Estado islâmico

<p>Uma das mulheres do líder do autoproclamado Estado Islâmico e o filho de ambos foram capturados pelo exército do Líbano há cerca de dez dias, revelou esta terça-feira fonte das forças de segurança libanesas.</p> <p>A mulher e o filho de Abu Bakr al-Baghdadi foram apanhados perto da fronteira com a Síria, próximo da cidade fronteiriça libanesa de Arsal, adiantou a mesma fonte à France Press.</p> <blockquote class="twitter-tweet" lang="pt"><p>Líbano detém uma mulher e uma filha do líder do Estado Islâmico. <a href="http://t.co/oMm2JIHX59">http://t.co/oMm2JIHX59</a> <a href="http://t.co/HBoT0Rlkok">pic.twitter.com/HBoT0Rlkok</a></p>— Jornal O Globo (@JornalOGlobo) <a href="https://twitter.com/JornalOGlobo/status/539721409493491713">2 dezembro 2014</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p>Fontes militares citadas pela agência espanhola <span class="caps">EFE</span> revelaram que os dois detidos foram conduzidos a uma prisão localizada na sede do Ministério da Defesa libanês e estarão aí ser interrogadas. O jornal local As Safir adiantou que a detenção foi realizada em coordenação com “serviços de informação estrangeiros” e a mulher, cuja identidade não foi revelada, estaria a viajar com o filho na posse de passaportes falsos.</p> <p>Em Kobane, no norte da Síria, prosseguem, entretanto, os combates entre “peshmergas”, nome dado aos combatentes curdos, e os extremistas armados do grupo Estado Islâmico. Numa das investidas dos extremistas nas últimas horas para recuperar o controlo de algumas áreas entretanto tomadas pelas forças curdas, terá morrido um dos responsáveis do grupo islâmico também conhecido pela sigla inglesa <span class="caps">ISIL</span>. O morto foi identificado como sendo um emir checheno de nome Asadulá al Shishani. </p> <blockquote class="twitter-tweet" lang="pt"><p><a href="https://twitter.com/hashtag/Lebanon?src=hash">#Lebanon</a> <span class="caps">LBCI</span>: <a href="https://twitter.com/hashtag/ISIS?src=hash">#ISIS</a> Baghdadi wife Suja Dulaimi arrested w son on Madfun checkpt by army Intel <a href="http://t.co/qZpNgMw4zI">http://t.co/qZpNgMw4zI</a> <a href="http://t.co/JvkdA7zf3a">pic.twitter.com/JvkdA7zf3a</a></p>— Joyce Karam (@Joyce_Karam) <a href="https://twitter.com/Joyce_Karam/status/539782666640691200">2 dezembro 2014</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p>De acordo com o vice-ministro dos Assuntos Exteriores do governo autónomo de Kobane, Idris Nuaman, combatentes do <span class="caps">ISIL</span> de origem caucasiana estão a tentar desde a noite passada as zonas perdidas para os curdos nos últimos três dias a sudeste da cidade. O Observatório Sírio para os Direitos Humanos acrescentou que o grupo Estado Islâmico teria já conseguido recuperar o controlo sobre um mercado de verduras no leste de Kobane. A mesma Organização Não Governamental (<span class="caps">ONG</span>) revelou que, para lá do emir checheno, terão morrido outros 20 membros da organização radical islâmica e pelo menos três “peshmergas.”</p> <p>A ofensiva do <span class="caps">ISIL</span> sobre Kobane começou a 16 de setembro e nas primeiras semanas avanaçou rapidamente. A chegada à região de “peshmergas” enviados pelo governo do Curdistão Iraquiano no final de outubro reforçou de forma considerável a resistência da cidade às investidas do grupo Estado Islâmico. Os combates continuam na zona.</p> <blockquote class="twitter-tweet" lang="pt"><p>IslamicState mujahideen Inside the Security Quarter in Ayn Al-Islam (earlier known as Kobane / Kobani) <a href="http://t.co/eUbYW8TIl3">pic.twitter.com/eUbYW8TIl3</a>"</p>— abodujana (@abomuavea) <a href="https://twitter.com/abomuavea/status/539786424124338178">2 dezembro 2014</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script>