Última hora

Última hora

Sexta semana da Moda do Paquistão encerra com brilho e cores garridas

Em leitura:

Sexta semana da Moda do Paquistão encerra com brilho e cores garridas

Tamanho do texto Aa Aa

A moda não é uma das primeiras ideias que nos surja quando se fala do Paquistão, mas já pelo sexto ano consecutivo decorreu em Karachi a semana da moda deste país asiático. Pela passarela de Karachi desfilaram as coleções Outono-Inverno de vários “designers” paquistaneses.

“Para Karachi, com amor”, a coleção de Maheen Khan, esteve em destaque na terceira e derradeira noite desta “Pakistan Fashion Week”, que decorreu entre 25 e 27 de novembro. Conhecida, por exemplo, pelo trabalho na emblemática série televisiva britânica dos anos 80, “A Jóia da Coroa”, Maheen Khan apostou na experiência de mais de quatro décadas na costura e no conhecimento das tendências de então na cidade.

“Eu vi como era a vida em Karachi nos anos 60 e 70. As mulheres eram muito elegantes. Eram como cisnes. Elas não tinham roupas muito trabalhadas nem demasiado brilho. Tentei trazer isso de volta. Procurei recuperar essa elegância”, revelou Maheen Khan, famosa igualmente pelas roupas desenhadas para alguns filmes marcantes como “Sweeney Todd: O Terrível Barbeiro de Fleet Street” ou “Elizabeth”, o filme bipartido sobre a vida da rainha Isabel I de Inglaterra.

A derradeira noite desta semana da moda do Paquistão deu lugar ainda a novos valores locais. Foi o caso de Nida Azwer, que está prestes a completar uma década de atividade. A nova coleção do Nida Azwer Atelier aposta nos casacos, nas camisas de bainha curta e nas longas saias Langas. É uma fusão do tradicional com o moderno.

“[A coleção] é inspirada na era do Renascimento. Na paleta de cores é tudo vermelhos, laranjas, azuis e preto. Há uma variedade de silhuetas do ocidente e do oriente combinadas, muitas estampagens, camadas, impressões digitais, cortes a laser, embelezamentos, bordados.
É divertido. Pode combina-los ou usa-los em separado”, explicou Nida Azwer.

Espaço na passarela também para a coleção de Sadaf Malaterre e para a Casa Sana Safinaz. A “designer” francesa, de 39 anos, está sedeada em Karachi e confirmou a tendência pelas cores vivas, as técnicas inovadoras e o recurso aos bordados tradicionais para criar texturas modernas. A Casa Sana Safinaz apresentou um pronto-a-vestir de luxuoso criado pelo “designer” Moshin Ali.