Última hora

Última hora

Senado italiano aprova a contestada reforma laboral do governo de Renzi

Com o voto do senado esta quarta-feira, o parlamento italiano dá luz verde à reforma laboral do governo de Matteo Renzi. Um diploma bastante

Em leitura:

Senado italiano aprova a contestada reforma laboral do governo de Renzi

Tamanho do texto Aa Aa

Com o voto do senado esta quarta-feira, o parlamento italiano dá luz verde à reforma laboral do governo de Matteo Renzi.

Um diploma bastante contestado pelos sindicatos. Enquanto o senado votava o chamado “Jobs act”, no exterior centenas de pessoas reuniam-se para protestar.

O ponto mais polémico da reforma foi a abolição do artigo 18° do código do trabalho que protegia os trabalhadores de despedimentos abusivos.

O primeiro-ministro tinha pedido um voto de confiança com este diploma e congratulou-se, na sua conta twitte,r pelo facto de o “jobs act” se tornar lei.

A nova lei prevê incentivos fiscais para a contratação por prazo indeterminado, para limitar os contratos a termo.

Prevê também uma proteção crescente, com despedimentos mais fáceis nos três primeiros anos e maiores entraves ao despedimento à medida que aumenta a antiguidade.

A reforma concede uma maior flexibilidade aos empregadores que podem mudar os postos de trabalho, no quadro de uma reorganização ou restruturação.