Última hora

Última hora

Muitos paquistaneses rejubilam com o sucesso de Malala

Residentes da cidade natal de Malala, Mingora, no vale Swat, assistiram à cerimónia do Nobel num ecrã gigante colocado numa escola municipal.

Em leitura:

Muitos paquistaneses rejubilam com o sucesso de Malala

Tamanho do texto Aa Aa

A luta pelo direito de todos à educação valeu o prémio Nobel da Paz ao indiano Kailash Satyarthi e à paquistanesa Malala Yousafzay.

O galardão foi entregue esta quarta-feira formalmente em Oslo, na Noruega seguido de uma cerimónia.

A jovem que hoje é ativista pelos direitos à educação, foi baleada por um Taliban em outubro de 2012 devido às suas ideias a favor da escolarização das raparigas da sua aldeia, na região conservadora Swat do Paquistão.

Os residentes da cidade natal de Malala, Mingora, no vale Swat aplaudiam enquanto assistiam à cerimónia, num ecrã gigante colocado numa escola municipal.

“Estamos muito felizes que Malala tenha recebido o Prémio Nobel. O inimigo queria bloquear a sua educação. Ela enfrentou o inimigo e trouxe visibilidade para a nossa escola e para o nosso país.”

Uma professora lembra: Ninguém conhecia Malala Yousafzai, há seis anos, mas hoje ela é reconhecida em todos os cantos do mundo. Estamos orgulhosos de fazer parte desta escola. Todas meninas gostariam de ser como Malala Yousafzai.”

Houve celebrações semelhantes em Peshwar onde as pessoas se reuniram na câmara municipal para assistir ao evento, assim como na capital, Islamabad.