Última hora

Última hora

Bodyboard: Teresa Almeida vence Neymara Carvalho e é campeã do Mundo

Em leitura:

Bodyboard: Teresa Almeida vence Neymara Carvalho e é campeã do Mundo

Tamanho do texto Aa Aa

A portuguesa Teresa Almeida, de 21 anos, ainda está incrédula com o título mundial de bodyboard, que conquistou sexta-feira, em Iquique, no Chile.

“Estou muito feliz. A minha estratégia foi apanhar uma onda boa para controlar rapidamente o ‘heat’ e depois escolher as melhores com calma”, expressou a “bodyboarder” da Nazaré logo após o triunfo, citada pelo site “bodyboard.pt”. Depois, mais a frio, em declarações à agência LUSA, Teresa Almeida afirmou: “Já estou mais ciente do que consegui, mas acho que só vou acreditar quando receber [a medalha de ouro] e cantar o hino.”

Teresa Almeida impôs-se à brasileira Neymara Carvalho, à francesa Anne Cecile e à venezuelana Yuleiner Gonzalez, cumprindo a estratégia de de um forte arranque na final e investir nas boas ondas.


“Penso que num pico como este – sempre no mesmo sítio, com uma onda de pedra e quatro pessoas a disputar as ondas, que não eram assim tantas – o importante era conseguir uma primeira onda forte e, depois, esforçar-me para apanhar as melhores ondas. Acabou por dar certo. Acho que foi essa tática que acabou por me levar ao título”, explicou a nova campeã do mundo, que já este ano se sagrou vice-campeã da Europa.

Antes de chegar à final do campeonato, Teresa Almeida ainda foi relegada para uma repescagem, que a própria admite ter-lhe dado “mais força e vontade.”


Além da medalha de ouro de Teresa Almeida, a seleção portuguesa presente no Chile conquistou ainda uma medalha de bronze. Mérito de Madalena Guerra, nos juniores de sub-18. O campeão da Europa Miguel Adão terminou em quarto, na mesma categoria masculina.

No Open masculino, Hugo Pinheiro terminou em sétimo e Daniel Fonseca em 11º da geral. Em “DropKnee”, Diogo Pimenta ficou no 8º lugar. Portugal terminou na 4ª posição da geral coletiva.

Para além da medalha de ouro de Teresa almeida, no Open Feminino, o sul-africano Tristan Roberts triunfou no Open Masculino, Yoshua Toledo do Chile nos juniores masculino de sub-18, a Peruana Carolina Botteri na categoria de juniores femininos de sub-18 e o Francês Amaury Lavernhe em “Dropknee.”


“É uma participação muito boa, estiveram todos muito bem, em especial a Teresa. Tivemos três finalistas, o que é muito bom”, salientou o presidente da Federação Portuguesa de Surf, João Aranha, em declarações à Lusa.

O desempenho luso no Chile, com a “agradável surpresa” de Teresa Almeida, que acarreta uma “maior responsabilidade”, pode conferir “um novo interesse na modalidade”, perspetiva João Aranha.

“Pode trazer mais investimento estatal à federação para o desenvolvimento da modalidade, mas, acima de tudo, [espero] que este título coloque mais jovens a praticar bodyboard, porque há alguma carência nos sub-12 e sub-14. Assiste-se um bocadinho ao envelhecimento dos atletas”, lamentou o dirigente.