Última hora

Última hora

Os prémios do Festival de Cinema de Marraquexe

Em leitura:

Os prémios do Festival de Cinema de Marraquexe

Tamanho do texto Aa Aa

A décima quarta edição do Festival de Cinema de Marraquexe chegou ao fim. A presidente do júri, Isabelle Hupert, entregou os galardões.

A décima quarta edição do Festival de Cinema de Marraquexe chegou ao fim. A presidente do júri, Isabelle Hupert, entregou os galardões.

A estrela de ouro do festival marroquino foi entregue a Ivan Tverdovsky pelo filme “Corrections Class”.

A obra retrata a vida de Lena, uma estudante brilhante com uma deficiência motora que deseja voltar à escola mas que é colocada numa turma de alunos com necessidades especiais.

“Tenho imensa pena por não poder estar convosco esta noite, Estou a rodar o meu novo filme em Moscovo. Sinto-me honrado pelo convite e pelo prémio”, disse Ivan Tverdovsky.

O prémio do júri recompensou o filme “Chrieg” de Simon Jaquemet. A película gira em torno de Matteo um adolescente em conflito com o pai que é raptado por um grupo de jovens violentos e preso no canil de uma quinta.

“Queria retratar a violência adolescente e ao mesmo tempo falar da lenda desta quinta. Normalmente sou uma pessoa simpática mas durante a rodagem tornei-me às vezes muito mau, nomeadamente com a minha equipa”, contou Simon Jaquemet.

O prémio para melhor realizador foi entregue a Aditya Vikram Sengupta pelo filme “Labour of love”.

A ação de “Labour of Love” desenrola-se em Calcutá. O filme retrata um casal preso num cenário de recessão económica, trabalho excessivo e rotina.

Estou triste por Aditya não estar aqui mas eu estou e nós somos feitos da mesma matéria. Penso que atravessamos uma época excelente para o cinema indiano e estou contente por dar o meu contributo” sublinhou Shetty Sengupta, produtora do filme.

O galardão para melhor atriz foi atribuído a Clotidle Hesme pelo filme “The Last hammer Blow”.

O filme de Alix Delaporte gira em torno de um filho que encontra o pai pela primeira vez. O progenitor dirige a sexta sinfonia de Mahler na Ópera de Montpelier.

“Nunca tive tanta confiança e estima da parte de um realizador ou de uma realizadora. Alix Delaporte mostrou uma confiança absoluta no meu trabalho e nós sentíamos que estávamos a fazer um grande filme” afirmou Clotidle Hesme.

O prémio para melhor ator foi atribuído a Benjamin Lutzke pelo filme “Chrieg”.

“Ainda não consigo acreditar e estou a tremer, nunca tinha ganho nada antes, é o meu primeiro filme, estou muito entusiasmado”, confessou Benjamin Lutzke.