Última hora

Última hora

Combatentes curdos cortam linhas de abastecimento aos djhadistas

Em leitura:

Combatentes curdos cortam linhas de abastecimento aos djhadistas

Combatentes curdos cortam linhas de abastecimento aos djhadistas
Tamanho do texto Aa Aa

As operações peshmerga apoiadas por ataques aéreos liderados pelos EUA estão a fragilizar o grupo Estado Islâmico.

A reconquista do Monte Sinjar no Curdistão iraquiano foi uma das operações com mais êxito desde o início da ofensiva.

Os combatentes curdos do norte do Iraque, romperam o cerco do Estado Islâmico ao Monte Sinjar, abrindo um corredor que permitiu a saída de milhares de pessoas encurraladas desde agosto na região.

Foram precisos dois longos ataques efetuados por cerca de 8 mil combatentes peshmerga, entre quarta e quinta-feira, e que contaram com o apoio dos bombardeamentos da aviação norte-americana.

A partir deste centro de operações, perto da fronteira com a Síria, Masroor Barzani, responsável pelo Conselho de Segurança Regional do Curdistão declara: “Nós não queremos ser os únicos que vão para as áreas de perigo onde existe várias ramificações políticas. Para a Libertação de Mosul será necessária a participação de forças árabes e especialmente militares do governo iraquiano”.

Esta conquista permitiu cortar as linhas de abastecimento utilizadas pelo islamistas e recuperar um total de 700 quilómetros quadrados de território.