Última hora

Última hora

Paquistão: Repúdio generalizado ao massacre de Peshawar

Por todo o Paquistão multiplicam-se as manifestações de repúdio ao ataque de guerrilheiros talibã contra uma escola no nordeste do país que matou

Em leitura:

Paquistão: Repúdio generalizado ao massacre de Peshawar

Tamanho do texto Aa Aa

Por todo o Paquistão multiplicam-se as manifestações de repúdio ao ataque de guerrilheiros talibã contra uma escola no nordeste do país que matou mais de uma centena de crianças. Em consequência, o governo anulou a moratória que suspendeu a aplicação da pena capital e levou a cabo várias operações militares contra os extremistas.

Entre as maiores manifestações, estão as concentrações esta sexta-feira em Carachi e em Islamabade que envolveram milhares de manifestantes.

“Estamos a protestar contra o martírio das crianças inocentes da escola de Peshawar, o que condenamos com veemência”, disse um manifestante islamita em Islamabade.

Habitantes de Carachi durante as orações de sexta-feira prestaram homenagem às crianças vítimas do massacre, ao mesmo tempo que foi o apelo à união da nação contra os extremistas.

“Ontem e hoje verificaram-se confrontos em que foram mortos vários extremistas em Carachi e em algumas zonas do Punjab. Isso mostra que o governo e os militares estão determinados a acabar com os extremistas em todo o país. Se vão ser bem sucedidos, ninguém sabe”, sublinhou o jornalista Zahid Hussain.

Dezenas de presumíveis rebeldes morreram no decurso de várias ações militares levadas a cabo no noroeste do Paquistão, nomeadamente na área tribal de Khyber.

O massacre de Peshawar, reivindicado pelo Movimento dos Talibãs do Paquistão, figura como o mais sangrento ataque terrorista da história do país.