Última hora

Última hora

EUA: vigília em memória de polícias abatidos a tiro reúne multidão

Em Brooklyn, familiares e amigos choram a morte dos dois polícias abatidos a tiro dentro do carro-patrulha por um homem, que fugiu para uma estação

Em leitura:

EUA: vigília em memória de polícias abatidos a tiro reúne multidão

Tamanho do texto Aa Aa

Em Brooklyn, familiares e amigos choram a morte dos dois polícias abatidos a tiro dentro do carro-patrulha por um homem, que fugiu para uma estação de metro e se suicidou.

Perto do local da tragédia realizou-se uma vigília que juntou uma verdadeira multidão, numa altura em que se reacendeu o debate sobre a discriminação racial nos Estados Unidos.

Os agentes Wenjian Liu e Rafael Ramos foram completamente surpreendidos, e de acordo com o relatório preliminar da polícia não tiveram tempo de pegar nas armas para reagir.

“Espero e rezo para que possamos refletir sobre esta perda trágica de vidas que ocorreu e para que possamos seguir em frente e encontrar um caminho amigável para uma coexistência pacífica”, lamenta Lucy Ramos, tia de uma das vítimas mortais.

Eric Adams, Presidente Brooklyn Borough, acrescenta: “Eles eram mais do que simples agentes da polícia. Eram os filhos de alguém. Eram maridos e pais. E queremos que a família completa do Departamento de Polícia de Nova Iorque compreenda que com o assassínio de elementos da nossa família, da nossa comunidade, estamos juntos no luto.”

Ismaaiyl Brinsley, o autor dos disparos, tinha postado nas redes sociais comentários hostis à polícia mencionando Eric Garner e Michael Brown, dois homens negros que morreram (sem estarem armados) em intervenções policiais nos últimos meses.

Na madrugada deste domingo um outro polícia de Tarpon Springs, na Florida, foi assassinado.