Última hora

Última hora

"Rapper" russo pede presidente novo ao Pai Natal

Russos passam o Ano Novo sob o signo da crise económica, mas mantêm o otimismo.

Em leitura:

"Rapper" russo pede presidente novo ao Pai Natal

Tamanho do texto Aa Aa

Os russos passam um Ano Novo diferente, marcado pela crise económica, causada em grande parte pelas sanções do Ocidente.

Point of view

Habituámo-nos ao otimismo, apesar de tudo. Se não rirmos, damos em loucos.

Por isso, estabilidade é o que muitos russos desejam para 2015.

Apesar da crise, muitos podem fazer compras no GUM, o centro comercial luxuoso em plena Praça Vermelha. Segundo a tradição herdada da era soviética, o Ano Novo é o grande festejo desta época: “As coisas mudam muito depressa, por isso gostaria de ter estabilidade. Precisamos mais de estabilidade que de mudança”, diz Olga Mozalyova, uma jovem cliente do GUM.

O ano novo é também altura da visita do Ded Moroz, versão local do Pai Natal.

Numa canção, o “rapper” Vasya Oblomov pede ao Pai Natal um presidente novo.

Na mensagem de ano novo, Vladimir Putin agradeceu aos russos o apoio e salientou os dois grandes acontecimentos do ano: Os Jogos Olímpicos de Inverno em Sotchi e a anexação da Crimeia.

Os russos tentam manter-se otimistas: “Habituámo-nos ao otimismo, apesar de tudo. Se não rirmos, damos em loucos”, diz Anastasia Khripunova, estudante.

No entanto, mesmo se há poucas dúvidas sobre a reeleição de Putin em 2018, o apoio começa a faltar e a oposição fortalece-se, apesar das ofensivas do Kremlin para a calar.

O Ano Novo marca também o aniversário da chegada de Putin ao poder. Foi na passagem de ano de 1999 para 2000 que Boris Ieltsin deixou a presidência e a entregou ao então primeiro-ministro.