This content is not available in your region

Parisienses, turistas e imigrantes na Cidade Luz condenam ataque

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Parisienses, turistas e imigrantes na Cidade Luz condenam ataque

<p>Paris acordou esta quarta-feira para aquele que prometia ser um grande dia nos centros comerciais da capital francesa: Arrancavam os saldos. Mas, ao final da manhã, na redação da revista Charlie Hebdo, aconteceu o ataque que chocou o Mundo e, claro, de uma forma mais particular, todos aqueles que estavam na capital francesa. </p> <p>O estado de alerta intensificado de pronto pelas autoridades em Paris deixou vazias muitas lojas, como testemunhou Isabel Ces, a enviada especial da euronews, à capital francesa, que teve oportunidade de tentar perceber, horas depois do atentado, como algumas pessoas de diferentes origens estavam a assimilar os acontecimentos.</p> <p><blockquote class="twitter-tweet" lang="pt"><p>NOT AFRAID: Thousands gathered in Paris in support of freedom of expression. AFP <a href="https://twitter.com/hashtag/JeSuisCharlie?src=hash">#JeSuisCharlie</a> <a href="http://t.co/d44m5BxraL">pic.twitter.com/d44m5BxraL</a></p>— Breaking News Feed (@PzFeed) <a href="https://twitter.com/PzFeed/status/552936853226389504">7 janeiro 2015</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <p>“Isto é demais. É uma barbaridade. Não é nada bom. Estas eram pessoas inocentes. É inadmissível”, disse-nos um homem. Uma mulher questionava-se: “Como é que histórias destas podem acontecer em torno da religião? Somos todos seres humanos. Não consigo compreender.”</p> <p>Um brasileiro disse que “este tipo de ataque é uma covardia”. “A causa deles… não há qualquer explicação para eles agirem assim”, considerou.</p> <p>Um homem expressando-se em arábico com pronúncia egípcia afirmou: “Eu condeno este ataque. No Corão, Deus diz-nos que àqueles que não nos atacam, nós devemos tratar bem e com respeito.”</p> <p><blockquote class="twitter-tweet" lang="pt"><p>Cartoonists stand in solidarity with <a href="https://twitter.com/hashtag/CharlieHebdo?src=hash">#CharlieHebdo</a> victims with these powerful images <a href="http://t.co/Tbg2WDiIHF">http://t.co/Tbg2WDiIHF</a> <a href="http://t.co/MhPgwnz9gQ">pic.twitter.com/MhPgwnz9gQ</a></p>— Mother Jones (@MotherJones) <a href="https://twitter.com/MotherJones/status/552917994830299136">7 janeiro 2015</a></blockquote><br /> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <p>De acordo com esta reduzida amostra de cidadãos anónimos que se cruzaram com a euronews, em Paris, horas depois do atentado, é aparentemente unânime a condenação deste atentado. Tanto por parisienses como por turistas de visita à Cidade Luz ou por imigrantes a viver na capital francesa.</p> <p><blockquote class="twitter-tweet" lang="pt"><p>.<a href="https://twitter.com/AP"><code>AP</a> photos: Thousands gather in Lyon, central France, to pay respects after <a href="https://twitter.com/hashtag/CharlieHebdo?src=hash">#CharlieHebdo</a> terror attack <a href="http://t.co/z6FyyOjuqL">pic.twitter.com/z6FyyOjuqL</a></p>&mdash; Oliver Darcy (</code>oliverdarcy) <a href="https://twitter.com/oliverdarcy/status/552955086096580611">7 janeiro 2015</a></blockquote><br /> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p>