Última hora

Última hora

Amed Coulibaly: Radicalização até ao limite

Amedy Coulibaly e Hayat Boumedienne eram, ambos, procurados pela polícia, que tinha lançado um apelo às informações sobre os dois. Hayat era a

Em leitura:

Amed Coulibaly: Radicalização até ao limite

Tamanho do texto Aa Aa

Amedy Coulibaly e Hayat Boumedienne eram, ambos, procurados pela polícia, que tinha lançado um apelo às informações sobre os dois.

Hayat era a companheira de Amedy e o seu paradeiro é desconhecido. Ele era procurado desde quinta-feira de manhã por suspeita da autoria do ataque com arma de fogo em Montrouges, que deixou uma polícia morta e outro polícia ferido.

Várias fontes policiais acreditam que a morte da agente não estava programada, mas há quem pense que poderia ter sido uma manobra de diversão no momento da fuga dos irmãos Kouachi.

Porque Amedi Coulibaly e Chérif Kouachi conheciam-se. Coulibaly tinha sido condenado pelo projeto de evasão do presumível jihadista Smain Ait Ali Belkacem, em 2010, no mesmo processo em que Chérif Kaouchi esteve também acusado.

Condenado por diversos crimes de delito comum, foi-se radicalizando, até ser abatido pela polícia na Porte de Vincennes, em Paris, após ter sequestrado várias pessoas num mini-mercado de um bairro judeu.