Última hora

Última hora

França: Fim das tomadas de reféns, sequestradores abatidos

Fim das duas tomadas de reféns, que centraram as atenções ao longo do dia em França. No final, a polícia matou os irmãos Kouachi, em

Em leitura:

França: Fim das tomadas de reféns, sequestradores abatidos

Tamanho do texto Aa Aa

Fim das duas tomadas de reféns, que centraram as atenções ao longo do dia em França. No final, a polícia matou os irmãos Kouachi, em Dammartin-en-Goële, e Amedy Coulabaly, num supermercado judaico na Porta de Vincennes, em Paris. Há ainda quatro reféns mortos na capital francesa e vários feridos.

Logo pela manhã, em Dammartin-en-Goële, as autoridades cercaram uma tipografia, onde se encontravam um civil e Chérif e Said Kouachi, de 32 e 34 anos, que estavam armados.

O deputado francês Yves Albarello declarou à cadeia francesa itélé que os suspeitos querem “morrer como mártires”, uma informação transmitida por um agente de segurança que se encontrava no local.

Em declarações à France 2, um antigo responsável do RAID, a unidade de elite da polícia francesa, frisou que a prioridade era resgatar vivos o refém. Segundo informações, o homem não tinha sido mantém refém, mas tinha estado escondido o tempo todo num cartão, dando informações aos agentes.

Como o local se encontra na proximidade do aeroporto de Roissy-Charles de Gaulle, algumas chegadas de aviões foram canceladas.

Esta manhã, o presidente François Hollande declarou que a França enfrenta uma “prova” e apelou à unidade nacional. O chefe de Estado francês sublinhou que a unidade não significa “uniformidade”, numa referência às controvérsias sobre a integração das populações muçulmanas em França.

euronews em direto