Última hora

Última hora

Companheira do sequestador de Paris terá escapado para a Síria

A mulher mais procurada de França já não se encontrará no país, pelo menos desde o início do ano. Segundo fontes turcas citadas pelos media

Em leitura:

Companheira do sequestador de Paris terá escapado para a Síria

Tamanho do texto Aa Aa

A mulher mais procurada de França já não se encontrará no país, pelo menos desde o início do ano. Segundo fontes turcas citadas pelos media franceses, Hayat Boumeddienne terá viajado para a Síria, via Madrid e Istambul no dia 2 de janeiro.

A companheira do atirador que vitimou uma polícia na quinta-feira e 4 pessoas durante um sequestro, um dia depois, num supermercado judaico em Paris, é também suspeita de ligações ao duo de irmãos responsáveis pelo atentado contra o jornal Charlie Hebdo.

Segundo fontes policiais, Boummedinne teria telefonado nos últimos meses mais de 500 vezes à companheira de um dos irmãos Kouachi.

No prédio onde vivia a, agora, mulher mais procurada de França, nos arredores de Paris, um vizinho fala de um casal discreto:

“Cruzei-os nas escadas por várias vezes. A mulher com um véu integral. Não eram pessoas más, mas não tinha grande relação com eles. Bons dias e boas noites quando nos cruzávamos nas escadas. Eram afáveis e nunca criaram problemas”.

A jovem de 26 ter-se-ia radicalizado em 2009 depois de encontrar o companheiro e cúmplice Amedy Coulibaly. Vestida com o véu integral, Boummedinne declarava apoiar as ações da Al-Qaida e tinha participado ativamente na campanha contra a proibição do porte do véu islâmico nos espaços públicos em França.