Última hora

Última hora

França: "Eu sou Ahmed"

“Eu Sou Ahmed”, o tributo popular a um dos polícias que morreram na quarta-feira no ataque à redação do jornal satírico francês Charlie Hebdo

Em leitura:

França: "Eu sou Ahmed"

Tamanho do texto Aa Aa

“Eu Sou Ahmed”, o tributo popular a um dos polícias que morreram na quarta-feira no ataque à redação do jornal satírico francês Charlie Hebdo. Centenas de pessoas reuniram-se em Livry-Gargan, um subúrbio de Paris, para respeitar um minuto de silêncio em memória de Ahmed Merabet, que vivia nesta localidade.

Tal como os homens que o mataram, Ahmed era francês de origem argelina e muçulmano. O irmão falou com a comunicação social no sábado.

“Era um francês de origem argelina e de confissão muçulmana, muito orgulhoso de se chamar Ahmed Merabet, de representar a polícia francesa e de defender os valores da república: Liberdade, igualdade e fraternidade.
Dirijo-me agora a todos os racistas, islamófobos e antissemitas: não se pode misturar os extremistas e os muçulmanos. Os loucos não têm côr nem religião. Tenho que sublinhar outra coisa: deixem de fazer amálgamas, de iniciar guerras, incendiar mesquitas ou sinagogas, pois atacam pessoas e isso não traz de volta os nossos mortos e não acalmará as famílias”, declarou Malek Merabet.

Ainda segundo o irmão, Ahmed estava prestes a deixar as operações no terreno. Era um polícia respeitado pelos colegas e desde que o pai morreu, há 20 anos tentou tomar conta de toda a família, aquela que agora chora a sua morte.