Última hora

Última hora

Manifestações e ameaças contra a edição do Charlie Hebdo

Um pouco por todo o mundo há notícias de ameaças ou protestos por causa da última edição do Charlie Hebdo. Na Bélgica, em Jette, nos arredores de

Em leitura:

Manifestações e ameaças contra a edição do Charlie Hebdo

Tamanho do texto Aa Aa

Um pouco por todo o mundo há notícias de ameaças ou protestos por causa da última edição do Charlie Hebdo.

Na Bélgica, em Jette, nos arredores de Bruxelas, um quiosque de jornais recebeu ameaças anónimas por causa da venda do jornal.

O proprietário comenta:
“Vamos fazer como é hábito, vamos abrir a loja como todos os dias e vamos vender como habitualmente. “

Recebeu muitas encomendas?
“Recebemos muitas
encomendas mas não guardámos para ninguém. Habitualmente temos só três exemplares e esta semana recebemos mais de cem encomendas. Respondemos não a toda gente”

Na Turquia centenas de pessoas protestaram nas ruas de Istambul contra o jornal da oposição,Cumhuriyet, que publicou uma seleção de cartoons da edição desta semana do Charlie Hebdo. O procurador abriu um inquérito, os manifestantes pedem a punição do jornal.

O procurador abriu um inquérito contra o jornal.

“O nosso limite é o profeta. O Islão tem uma interpretação de como glorificar os profetas de todas as religiões. Mas isto não é uma fé saudável. Isto está a ser insultante e é assim há vários anos”.

Também no Paquistão centenas de pessoas sairam à rua em protesto, no mesmo dia em que foi aprovada uma lei que condena a difusão das imagens que representam o profeta publicadas no jornal satírico francês.