This content is not available in your region

Lindsey Vonn faz história em Itália, Reichelt estraga a festa suíça

Access to the comments Comentários
De  Bruno Sousa
Lindsey Vonn faz história em Itália, Reichelt estraga a festa suíça

<p>Lindsey Vonn é o grande destaque da semana no mundo do esqui alpino. A norte-americana conquistou o downhill de Cortina d’Ampezzo e igualou o recorde de Annemarie Moser-Pröll com 62 vitórias na Taça do Mundo.</p> <p>Vonn tem sido bastante cautelosa no regresso à competição após uma longa lesão mas nem por isso os resultados têm deixado de aparecer.</p> <p>Para já participou apenas em três etapas, Lake Louise, Val d’Isère e agora em Cortina e em todas elas consegui subir ao lugar mais alto do pódio, sempre no downhill. Uma prestação que lhe permite liderar a Taça do Mundo da disciplina.</p> <blockquote class="twitter-tweet" lang="pt"><p>What a relief for <a href="https://twitter.com/lindseyvonn"><code>lindseyvonn</a> as Goergl crosses the finish line 0.32 sec behind. 3rd Merighetti +0.54! <a href="http://t.co/rwd3qy5SA7">pic.twitter.com/rwd3qy5SA7</a></p>&mdash; FIS Alpine (</code>fisalpine) <a href="https://twitter.com/fisalpine/status/556768709017337857">18 janeiro 2015</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p>Vonn completou a descida com uma vantagem de 32 centésimos sobre Elisabeth Görgl. A austríaca até foi a esquiadora mais rápida nos dois primeiros setores na pista mas um pequeno erro no último terço custou-lhe a vitória. Subiu ao pódio pela terceira vez esta temporada.</p> <p>Na terceira posição ficou Daniela Merighetti, que se revelou incapaz de repetir o triunfo de 2012 na estância italiana.</p> <p>Tina Maze não foi além da quinta posição mas continua a liderar confortavelmente a Taça do Mundo.</p> <p><strong>Reichelt estraga a festa suíça</strong></p> <p>O downhill na estância suíça de Wengen foi dominado pelos esquiadores da casa, com três nos primeiros quatro classificados e sete no top 12. No entanto a vitória escapou a todos eles.</p> <p>Hannes Reichelt foi quem festejou na descida mais longa do inverno no Lauberhorn. O austríaco somou a segunda vitória da temporada. Já tinha subido ao lugar mais alto do pódio no super gigante de Beaver Creek.</p> <p>Na estância suíça o equilíbrio foi a nota dominante com os quatro primeiros classificados a ficarem separados por menos de um segundo. Reichelt foi o vencedor, impondo-se a Beat Feuz por apenas 12 centésimos.</p> <blockquote class="twitter-tweet" lang="pt"><p>Tight DH race in <a href="https://twitter.com/WeltcupWengen"><code>WeltcupWengen</a> this year as the top 3 squeezed into only 0.14 seconds! Btw, happy <a href="https://twitter.com/WorldSnowDay"></code>WorldSnowDay</a> ! <a href="http://t.co/hG3EYagTJs">pic.twitter.com/hG3EYagTJs</a></p>— <span class="caps">FIS</span> Alpine (@fisalpine) <a href="https://twitter.com/fisalpine/status/556816908650311680">18 janeiro 2015</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p>O helvético subiu ao pódio pela segunda vez esta temporada e já não festeja uma vitória desde março de 2012.</p> <p>Carlo Janka, que na sexta-feira tinha ganho o super combinado, terminou na terceira posição. A Taça do Mundo continua a ser liderada por Marcel Hirscher.</p> <p>Depois de Wengen, Hannes Reichelt e companhia partem na direção de Kitzbühel. A estância austríaca, considerada a Meca do esqui alpino, inspira tanto medo quanto fascínio, de acordo com o nosso especialista Franck Piccard:</p> <p>“Kitzbühel é mítico porque tem uma história por trás. É uma pista difícil, que deixou marcas no espírito de várias gerações de esquiadores. É um local mágico com todo o ambiente que a envolve, com 20, 30, 40 mil espetadores. Não sei a que nível situá-lo, é fenomenal. A pista tem troços bastante íngremes, bastante difíceis de dominar. De um ponto de vista técnico é praticamente sobre-humano. Passamos por momentos de stress e angústia, não só devido à pista mas devido a toda a história associada. E por vezes cometemos erros apenas devido ao medo que nos provoca.”</p>