Última hora

Última hora

Diretora-geral do FMI deixa aviso à Grécia

Em leitura:

Diretora-geral do FMI deixa aviso à Grécia

Tamanho do texto Aa Aa

A Grécia ocupou parte da visita de Christine Lagarde a Dublin, esta segunda-feira. A diretora-geral do FMI deslocou-se à capital irlandesa para participar numa conferência sobre a crise no país celta. Mas foram as eleições gregas que centraram as atenções, nomeadamente a eventualidade de uma reestruturação da dívida helénica.

Christine Lagarde, diretora-geral do FMI:

“- Há um problema de credibilidade nos mercados financeiros que tem que ser tido em consideração. Do nosso ponto de vista, o país assumiu compromissos. Para o seu próprio bem e para que a economia recupere têm que ser feitas reformas estruturais críticas e esperamos, obviamente, que o país honre os seus compromissos.”

O perdão de uma parte da dívida é uma das bandeiras eleitorais de Alexis Tsipras. O Syriza lidera as sondagens para eleições de domingo e a vantagem é cada vez maior.

Constantin Gurdgiev, professor de economia do Trinity College, Dublin:

“- Nós sabemos que a Grécia precisa de um Plano Marshall para o investimento. A Grécia precisa realmente de um perdão da dívida. A Europa tem que dar um passo semelhante ao que foi dado aquando a reunificação alemã. Este é o momento da verdade para nós. Quanto mais o adiarmos mais doloroso vai ser para a Grécia mas também para o resto da zona euro.”

Alexis Tsipras quer organizar uma “conferência da dívida europeia” à semelhança da reunião que em 1953, em Londres, apagou metade dívida alemã do pós-guerra e alargou o prazo de pagamento do restante montante.