Última hora

Última hora

Previsões do FMI e dados da China fazem recuar preço do petróleo

Em leitura:

Previsões do FMI e dados da China fazem recuar preço do petróleo

Tamanho do texto Aa Aa

As preocupações com a procura mundial de petróleo provocam uma nova queda dos preços do ouro negro. O barril de Brent está abaixo dos 49 dólares e o barril de “light sweet crude” na casa dos 46 dólares.

O mercado reagiu de forma negativa ao corte nas previsões económicas do Fundo Monetário Internacional e aos dados do crescimento da China, o mais baixo em 24 anos.

Os preços do crude estão perto de mínimos de seis anos, com a produção a exceder a procura.

Em novembro, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) recusou um corte da produção e não há indícios de que tal possa ocorrer a curto prazo.

O Irão e a Venezuela implementaram uma ofensiva diplomática a favor de um corte da produção. Mas o ministro iraniano do Petróleo, Bijan Namdar Zanganeh, afirmou, numa conferência em Teerão, que a indústria petrolífera do seu país poderá mesmo suportar o preço do barril a 25 dólares.

A próxima reunião da OPEP está marcada para junho.

A organização, em especial a Arábia Saudita, procura manter a quota de mercado, face ao aumento da produção de petróleo nos Estados Unidos. A queda dos preços está a penalizar o setor.

Alguns grupos internacionais anunciaram já reduções de investimento e cortes de efetivos.

A empresa de serviços petrolíferos, Baker Hughes Inc, estima que a exploração nos Estados Unidos possa recuar 15% no primeiro trimestre deste ano, face aos últimos três meses de 2014, e prevê o despedimento de 7 mil pessoas.