Última hora

Última hora

A herança do rei Abdullah

Para onde vai a Arábia Saudita? Como continuar o reinado de Abdullah desenvolvendo a economia sem desrespeitar as tradições? Estes são alguns dos

Em leitura:

A herança do rei Abdullah

Tamanho do texto Aa Aa

Para onde vai a Arábia Saudita?

Como continuar o reinado de Abdullah desenvolvendo a economia sem desrespeitar as tradições? Estes são alguns dos grandes desafios do novo soberano cujas limitações são conhecidas. O novo rei promete manter mesma linha dos seus predecessores. Um dos seus primeiros decretos serviu para nomear o sobrinho Mohammed bin Nayef como o primeiro na linha sucessória ao trono saudita.

A escolha de Salman, de idade bastante avançada – 79 anos – e com problemas de saúde indisfarçáveis, expõe a monarquia saudita à ameaça de esclerose. Riad enfrenta atualmente uma série de desafios diplomáticos e políticos. O mais quente vem do Iêmen, onde a rebelião Outhi xiita se prepara para tomar o poder.

Os Outhis, apoiados pelo Irão tradicional inimigo dos sauditas, poderão trazer muitas complicações à conservadora estabilidade do reino vizinho.

Número dois do reino, o príncipe Salman multiplicou as visitas ao Ocidente e à Ásia, o que imprimiu uma dimensão internacional à sua carreira.

Apesar de uma saúde frágil, quis mostrar sua determinação para ser rei, mas o seu papel ficou um pouco fragilizado com a decisão anunciada pelo rei Abdullah em março de 2014 de designar Muqrin, o mais idoso dos filhos do fundador do reino, como futuro príncipe-herdeiro.

O novo rei vai ter de implementar reformas sociais e económicas começadas no reinado de Abdullah, um reformador “prudente”.

Salman é considerado um homem sábio, sobre a questão das reformas culturais e sociais mas, ao mesmo tempo, muito conservador. Um homem que defende abertamente que a democracia não é adequada para a Arábia Saudita.

Biografia do novo rei da Arábia Saudita

Nascido em Riad, a 31 de dezembro de 1935, o príncipe Salman foi governador da capital durante quase 50 anos. A maioria das províncias sauditas são chefiadas por membros da família real com o posto de ministro. Graças a este cargo é considerado o arquiteto do desenvolvimento desta cidade, construída no deserto pela dinastia Al Saud e hoje uma capital moderna.

O novo rei Salman, vigésimo quinto filho do rei Abdul Aziz, fundador do reino, faz parte do clã Soudairi. Casado três vezes, ele tem dez filhos ainda vivos, o mais conhecido é o astronauta Sultan Bin Salman.

Sauditas e americanos amigos de longa data

O falecido rei Abdullah teceu, ao longo do seu reinado relações fortes com o Ocidente. Aliado dos EUA, o monarca colaborou com Washington na luta contra o terrorismo, especialmente contra a Al Qaeda. Por pressão do Ocidente implementou reformas significativas na Arábia Saudita, incluindo algumas oportunidades para as mulheres. Apesar disso, em vários momentos a aliança com os EUA estremeceu, nomeadamente com as sucessivas crises israelo-palestinianas. No entanto, liderar um Estado que é umas das primeiras reservas mundiais de petróleo sempre lhe conferiu bastante poder de infuência.

Nos últimos anos, o rei forçou a administração de Barack Obama no apoio que lhe fornerceu contra o Irão, nação vista como inimiga pelos sauditas devido à disputa pela influência no mundo islâmico.