Última hora

Última hora

Scanner a laser mede carbono da floresta tropical no Brasil

Em leitura:

Scanner a laser mede carbono da floresta tropical no Brasil

Tamanho do texto Aa Aa

As árvores absorvem grandes quantidades de dióxido de carbono. Um processo natural que ajuda a diminuir consideravelmente a quantidade de CO2 na

As árvores absorvem grandes quantidades de dióxido de carbono.

Point of view

O instrumento é colocado num tripé, gira e lança um feixe de laser. Cada vez que o feixe de laser dispara, milhares de vezes por segundo, a máquina regista a distância que o laser percorreu. Dessa forma, obtemos uma fotografia tridimensional de tudo o que rodeia o instrumento de laser.

Um processo natural que ajuda a diminuir consideravelmente a quantidade de CO2 na atmosfera.

Cada hectare de floresta é capaz de absorver entre 150 e 200 toneladas de carbono.

A quantificação do carbono é uma etapa importante na gestão florestal e no combate ao aquecimento global.

Normalmente a medição é feita manualmente, através do corte e da pesagem de árvores.

Uma universidade londrina desenvolveu uma nova técnica baseada num scanner a laser que permite criar uma mapa florestal a três dimensões.

A pesquisa está a ser realizada no University College em Londres.

O novo scanner foi testado recentemente na Amazónia, no âmbito de um projeto que visa analisar o impacto da seca nas florestas tropicais.

“Podemos usar o laser para calcular de forma correta o volume das árvores. Depois dessa medida, precisamos também da densidade da madeira. Com o volume e a densidade podemos estimar a massa das árvores. Graças ao scanner a laser calculamos o peso das árvores”, explicou Mathias Disney, investigador no Departamento de Geografia da University Collegue London.

A tecnologia chama-se ‘Deteção de luz e radar’. Segundo os cientistas, os dados recolhidos são fiáveis em 90 por cento dos casos. A fiabilidade das técnicas mais antigas não ultrapassa os 40%.

A informação obtida graças ao scanner pode ser cruzada com fotografias de modo a gerar um retrato 3D da floresta.

“O instrumento é colocado num tripé e gira à volta e lança um feixe de laser. Cada vez que o feixe de laser dispara, milhares de vezes por segundo, a máquina regista a distância que o laser percorreu, a distância entre o laser e o objeto. Dessa forma, obtemos uma fotografia tridimensional de tudo o que rodeia o instrumento de laser”, acrescentou o responsável.