Última hora

Última hora

Hector, o robô-inseto

Em leitura:

Hector, o robô-inseto

Tamanho do texto Aa Aa

O robô-inseto Hector prepara-se para mais um passeio. Estamos perante uma criação do grupo de pesquisa de biomecatrónica da universidade alemã de

O robô-inseto Hector prepara-se para mais um passeio. Estamos perante uma criação do grupo de pesquisa de biomecatrónica da universidade alemã de Bielefeld. O robô pode mexer as seis pernas de forma independente e os sensores permitem-lhe reagir de forma autónoma ao meio ambiente. Jan Paskarbeit afirma que o Hector pode ajudar a testar teorias sobre a locomoção animal.

Jan Paskarbeit, cientista:

“- Nós não vamos enviá-lo para os esgotos ou coisa do género. Trata-se mais de tentar perceber, concretamente, como funciona o ato de caminhar, neste caso com seis pernas, ou de testar teorias da biologia e enriquecê-las com novas ideias.”

As juntas elásticas do Hector funcionam como músculos e o exosqueleto ultraleve é feito de plástico reforçado com fibra de carbono. O robô tem a capacidade de se adaptar às circunstâncias do terreno e em breve vai ser capaz de ver.

Jan Paskarbeit, cientista:

“- Estamos a desenvolver um sistema de câmara para o Hector que vai poder dar uma imagem inspirada pela biologia, ou seja, o Hector vai poder ver como um inseto.”

E para se sentir como um verdadeiro inseto, o novo protótipo está a ser desenvolvido com sensores de tato para poder reconhecer os obstáculos pelo toque. Embora o Hector seja uma plataforma de pesquisa, é capaz de carregar cargas pesadas. Eventuais futuros modelos poderão ser utilizados para fins de busca e salvamento.