Última hora

Última hora

Alemanha: Inflação negativa e novo recuo do desemprego

Em leitura:

Alemanha: Inflação negativa e novo recuo do desemprego

Tamanho do texto Aa Aa

Em janeiro, na Alemanha, a inflação caiu a pique e é negativa pela primeira vez desde outubro de 2009.

A maior economia da zona euro não escapa à tendência de queda dos preços, que levou o Banco Central Europeu a avançar com a flexibilização quantitativa.

Em termos anuais, o índice de preços ao consumidor, harmonizado a nível europeu, recuou para menos 0,5%. Mais do que o previsto pelos analistas. Em dezembro, a inflação era ainda positiva (0,1%) e desde novembro caiu um ponto percentual.

Os peritos recusam falar de deflação, já que a queda dos preços não está a atingir o consumo. Este é impulsionado pela subida dos salários e do emprego.

Em janeiro, a taxa de desemprego, corrigida de variações sazonais, baixou uma décima para 6,5%. É a taxa mais baixa desde a reunificação e Berlim espera novas melhorias este ano.

O presidente da agência federal de emprego, Frank-Jürgen Weise, considera que têm “boas razões para estar otimistas com o mercado laboral em 2015”, já que “o crescimento da economia ajuda a implementar o salário mínimo, de forma faseada, sem que constitua uma ameaça ao mercado do trabalho”.

Em janeiro, houve menos 8 mil desempregados. O país tem 2,836 milhões de pessoas sem trabalho e procura mão-de-obra para os setores das vendas, transportes e setores técnicos, como o da saúde.