Última hora

Em leitura:

Novas sanções contra a Rússia testam coesão europeia


A redação de Bruxelas

Novas sanções contra a Rússia testam coesão europeia

O agravamento da situação na Ucrânia levou à convocação de uma reunião de emergência, esta quinta-feira, em Bruxelas, dos chefes da diplomacia da União Europeia.

Em causa está a adoção de novas sanções contra o regime de Moscovo devido ao apoio aos separatistas pró-russos que, no sábado, atacaram Mariupol.

O secretário de Estado dos Assuntos Europeus francês, Harlem Désir, disse que “vamos mostrar uma forte coesão da União Europeia e exercer toda a pressão necessária, nomeadamente através do alargamento das sanções contra indivíduos”.

“As sanções visam os separatistas, bem como outras pessoas que prejudicam a unidade territorial ucraniana ao darem apoio militar aos separatistas, incluindo a partir da Rússia. Queremos o regresso a uma solução negociada”, acrescentou.

Contudo, o novo governo de Atenas tem opinião diferente.

O recém-empossado ministro dos Negócios Estrangeiros grego, Nikos Kotzias, disse que “a Grécia está a trabalhar em prol da restauração da paz e da estabilidade na Ucrânia e, ao mesmo tempo, está a trabalhar para evitar a rutura entre a UE e a Rússia. Vamos agora negociar.”

O conflito armado no leste da Ucrânia já fez mais de cinco mil mortos, desde que teve início em abril, segundo dados da ONU.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

Artigo seguinte

A redação de Bruxelas

Ministros europeus debatem reforço das medidas antiterrorismo