Última hora

Última hora

World Report da Human Rights Watch pinta o mundo de negro

A Human Rights Watch deu um novo alerta para o quadro negro em que está o mundo, em 2014. O observatório analisa a situação em 90 países, onde, no

Em leitura:

World Report da Human Rights Watch pinta o mundo de negro

Tamanho do texto Aa Aa

A Human Rights Watch deu um novo alerta para o quadro negro em que está o mundo, em 2014. O observatório analisa a situação em 90 países, onde, no ano passado, os direotos humanos estiveram em risco como nunca!
O fortalecimento do exército do autoproclamado Estado Islâmico e os crimes deste grupo que semeia terror por onde passa e nas localidades que ocupa, constitui o maior desafio em termos de sobrevivência de grupos étnicos e da humanidade em geral.

Esta ONG constata que, principalmente no Iraque, as milícias armadas escravizam a população, casam à força e violam mulheres e meninas, e tanto na Síria, Iraque e Argélia, decapitam jornalistas e trabalhadores humanitários.

Mas a Human Rights Watch assinala também que o movimento não surgiu do nada: além do vazio de segurança deixado pela invasão liderada pelos norte-americanos do Iraque, em 2003, as políticas sectárias e abusivas dos governos do Iraque e da Síria, perante a indiferença internacional, constituiram um ambiente de desenvolvimento por excelência dos extremismos.

Uma dinâmica similar à que se vive na Nigéria, onde as violações dos direitos humanos têm repercussões diretas no conflito, com as detenções em massa pelo exército de homens e crianças suspeitos de apoiarem ou pertencerem ao grupo extremista islâmico Boko Haram.

A deriva pode acabar por fazer tábua raza dos direitos fundamentais para impôr leis de segurança ditadas por imperativos de proteção contra a violência.

Além do auge dos extremismos islâmicos, o relatório da organização destaca o conflito armado entre os rebeldes apoiados pela Rússia e as suas milícias, e as forças do governo de Kiev. Esta guerra está a ter um impacto devastador na população civil no Leste da Ucrânia.

Também a União Europeia é criticada pelo trabalho dececionante na proteção dos direitos dos imigrantes.

A crítica alarga-se aos governos do mundo inteiro que, segunda a Human Wrights Watch, que insistem no erro imenso da omissão dos direitos humanos, o guia moral mais efeicaz em tempos conturbados. A sua violação pode provocar o agravamento dos problemas de segurança que existem na atualidade.