Última hora

Última hora

Novo filme de animação 'anima' centenas de obras de Van Gogh

Em leitura:

Novo filme de animação 'anima' centenas de obras de Van Gogh

Novo filme de animação 'anima' centenas de obras de Van Gogh
Tamanho do texto Aa Aa

Um filme de animação dá vida à obra de Van Gogh usando as próprias pinturas do artista.

A obra encontra-se em fase de produção e retrata o percurso do artista holandês, do início da carreira até à sua morte misteriosa, em 1890, em França.

A realizadora polaca Dorota Kobiela é também pintora.

“Ele disse ao irmão numa das cartas que só era possível expressar-se através das pinturas. Essas palavras foram muito importantes para mim e foram a razão pela qual fizemos o filme dessa forma. Contamos a história do artista através das obras de arte”, contou a realizadora.

A animação integra centenas de obras de Van Gogh. O O argumento baseia-se nas cartas escritas pelo pintor. Para fazer o filme, a produção precisa de dezenas de pintores.

“São necessários cinquenta a sessenta pintores para fazer o filme e cada um deles tem de ter um nível técnico extremamente elevado”, explicou o produtor Hugh Welchman.

Welchman tornou-se conhecido graças a “Pedro e o Lobo”, uma obra que arrecadou o Óscar para melhor filme de animação em 2008.

Todas as pinturas usadas no filme são realizadas a óleo para manter o aspeto original das obras de van Gogh.

“Os animadores usam materiais e pinturas de acordo com as imagens projetadas, cobrindo a imagem anterior com a seguinte.
Depois da pintura estar pronta, tira-se uma fotografia e o processo recomeça. Depois de doze frames, temos um segundo de filme”, explicou o animador Piotr Dominiak.

A combinação de cada pintura com a seguinte exige um trabalho extremamente preciso.
“A imagem é projetada na tela por um projetor que se encontra na parte de trás o que torna as coisas mais fáceis. Posso ver as linhas principais e a forma como se movimentam. Posso pintar os contornos até ao limite necessário depois a partir da projeção vejo se as pinceladas estão corretas e se a animação está correta”, explicou a pintora Anna Kluza.

A ideia original era realizar uma curta-metragem mas os produtores decidiram fazer uma longa-metragem quando tomaram consciência da popularidade de Van Gogh e do potencial do filme.

“Há muitos fãs de Vincent van Gogh, pessoas que são fãs das pinturas e que se interessam pela vida dele. Na verdade, o Hugh Welchman tomou a decisão de fazer uma longa-metragem devido a uma exposição das cartas de van Gogh que ele viu em Londres. Havia uma fila de espera numa terça feira à tarde para ler as cartas. Isso significa que o centro de interesse não é apenas a arte que ele criou mas o pintor enquanto pessoa”, explicou Sean Bobbit, presidente da produtora Breakthru films.

A produtora conseguiu angariar setenta mil euros através de uma plataforma de financiamento na Internet. O dinheiro foi usado para treinar os pintores. O filme deverá estar pronto daqui a dois anos.

Mais sobre cinema