Última hora

Última hora

Leste ucraniano: As datas de um conflito sangrento ( cronologia )

O sangrento conflito na Ucrânia fez milhares de mortos desde que começou em abril. Mas a história já vem de trás com um braço-de-ferro entre a Rússia

Em leitura:

Leste ucraniano: As datas de um conflito sangrento ( cronologia )

Tamanho do texto Aa Aa

O sangrento conflito na Ucrânia fez milhares de mortos desde que começou em abril. Mas a história já vem de trás com um braço-de-ferro entre a Rússia e a União Europeia para manter a influência sobre Kiev. Aqui pode consultar as principais datas.

2015
Fevereiro: Novas conversações de paz em curso.

2014
Dezembro: Rublo russo perde quase metade do valor por causa da queda do preço do petróleo e em parte devido às sanções ocidentais.

2-3 Novembro: Separatistas no leste ucraniano elegem novos líderes em eleições apoiadas pela Rússia e contestadas pelo ocidente.

26 Outubro: Partidos pró-ocidentais vencem eleições legislativas

21 Outubro: Human Rights Watch denuncia o uso de bombas de fragmentação.

9 Setembro: Peritos holandeses concluem que avião da Malaysia Airlines MH17 foi atingido por projeteis a alta velocidade.

5 Setembro: Ucrânia e separatistas assinam tréguas em Minsk.

26 Agosto: Ucrânia divulga vídeo com soldados paraquedistas russos capturados. É feita troca por soldados ucranianos.

22 Agosto: Coluna humanitária russa chega a Lugansk sem permissão das autoridades ucranianas.

30 Julho: União Europeia e Estados Unidos anunciam novas sanções contra a Rússia por causa da Crimeia.

17 Julho: Avião da Malaysia Airlines proveniente de Amsterdão e com destino a Kuala Lumpur com o código de voo MH17 é abatido. 298 pessoas perdem a vida.

27 Junho: União Europeia assina acordo de associação com a Ucrânia.

14 Junho: Separatistas abatem avião militar. 49 pessoas morrerem.

25 Maio: Petro Poroshenko eleito Presidente da Ucrânia.

11 Maio: Separatistas pró-russos declaram independência depois de referendos não oficiais.

2 Maio: Confrontos na cidade portuária de Odessa resultam em 42 mortos, a maioria ativistas pró-russos.

22 Abril: Presidente ucraniano ordena o reinício das ações militares.

17 Abril: Rússia, Ucrânia, Estados Unidos e União Europeia concordam em trabalhar para reduzir tensão no leste ucraniano. Três pessoas morrem em Mariupol – as primeiras mortes violentas no leste.

15 Abril: Presidente interino Olexander Turchynov anuncia início de operação anti-terrorista contra separatistas e depois suspende ação.

7 Abril: Manifestantes ocupam edifícios públicos em Dontesk, Lugansk e Kharkiv. Referendos são exigidos.

18 Março: Putin assina lei para anexar Crimeia.

17 Março: União Europeia e Estados Unidos “aprovam sanções”:
http://www.euronews.com/2014/03/17/russia-could-face-more-eu-sanctions-over-crimea/ contra dirigentes russos e da Ucrânia.

16 Março: Adesão da Crimeia à Federação Russa é apoiada por 97 por cento dos votantes num referendo, de acordo com organizadores. Ocidente fala em farsa.

1 Março: Parlamento russo aprova pedido do Presidente Vladimir Putin para usar a força no sentido de proteger interesses do país na Ucrânia.

27-28 Fevereiro: Homens armados ocupam edifícios públicos da Crimeia. Militares não identificados surgem fora dos principais aeroportos.

23-26 Fevereiro: Parlamento vota no sentido de banir o russo como língua oficial. Onda de irritação percorre regiões pró-russas. Decisão é revogada

22 Fevereiro: – Presidente Yanukovich desaparece ; – Manifestantes tomam conta do palácio presidencial – Parlamento retira poderes ao Presidente e agenda eleições para 25 de maio – Yanukovich surge na televisão a denunciar ‘golpe’ – Julia Timoschenko libertada da prisão

21 Fevereiro: Presidente Yanukovich assina acordo de compromisso com líderes da oposição.

20 Fevereiro: Kiev é palco do pior dia de violência em 70 anos. Pelo menos 88 pessoas são mortas em 48 horas. Vídeos mostram atiradores furtívos a disparar contra manifestantes.

18 Fevereiro: Protestos eclodem por razões desconhecidas. 18 pessoas morrem.

14-16 Fevereiro: Os 234 manifestantes detidos desde dezembro são libertados. Ocupação da câmara de Kiev termina.

28-29 Janeiro: Primeiro-ministro Mykola Azarov demite-se e parlamento anula lei anti-manifestações. Parlamento aprova lei de amnisitia mas oposição rejeita condições.

16-23 Janeiro: Parlamento aprova medidas restritivas de manifestações. Surgem as primeiras mortes nas contestações .

2013
17 Dezembro: Vladimir Putin oferece ao presidente Yanukovich um programa de assistência financeira, concorda em comprar dívida ucraniana e baixar o preço do gás num terço.

Dezembro: Manifestantes ocupam câmara e a praça da independência em Kiev. Cerca de 800 mil pessoas manifestam-se na capital ucraniana.

Finais de Novembro: Protestos ganham fôlego. 100 mil pessoas manifestam-se em Kiev.

21 Novembro: Governo do presidente Yanukovych abandona projeto de acordo de associação com a União Europeia e procura maior aproximação à Rússia. Protestos eclodem.

2010
Fevereiro: Pró-russo Viktor Yanukovich é declarado vencedor em eleições consideradas justas e livres por observadores. Rival Julia Tymoshenko é detida por abuso de poder.