Última hora

Última hora

Liga Portuguesa, J20: FC Porto “vence” três rivais e está mais perto da liderança

Em leitura:

Liga Portuguesa, J20: FC Porto “vence” três rivais e está mais perto da liderança

Tamanho do texto Aa Aa

O FC Porto foi o grande vencedor deste fim de semana, na Liga portuguesa de futebol. O empate registado entre Sporting e Benfica (1-1), em Alvalade, permite aos “dragões” aproximar-se do primeiro lugar ocupado pelas “águias” e distanciar-se do terceiro, dos “leões”, e até do quarto, agora o Sporting de Braga, por troca com o Guimarães.

Ler aqui a crónica do Sporting-Benfica

Os portistas deslocaram-se a Moreira de Cónegos e venceram, por 2-0. Um jogo azarado para os minhotos, que antes do intervalo tiveram de “queimar” duas substituições devido a lesões de Ramon Cardozo, logo no início, e André Marques, pouco depois da meia hora.

Por outro lado, foi um jogo histórico para o FC Porto e para Jackson Martinez. Aos 28 minutos, Herrera “descobre” Jackson e o colombiano assinou o 16.° golo na Liga. Foi também o golo 5000 dos portistas no campeonato nacional – o primeiro foi de Carlos Nunes, a 20 de janeiro de 1935, nas Salésias, então reduto do Belenenses.

Horas depois de entrar para a história do clube, era publicada na Colômbia uma entrevista exclusiva do melhor marcador da Liga portuguesa ao jornal El Espectador, na qual Jackson assume: “Tenho claro que no próximo verão seguramente vai dar-se a minha saída rumo a um novo clube.”

O Moreirense reagiu de pronto. Na sequência de um livre à entrada da área, André Marques rematou forte não muito longe da baliza – o lateral minhoto sairia quase de imediato, de maca. Aos 38 minutos, Battaglia obrigou Fabiano a aplicar-se para evitar o empate.

A segunda parte começou com os da casa em busca do empate e o FC Porto a tentar controlar. Aos 59 minutos, nova assistência de Herrera – o mexicano está a dar sequência ao Mundial do Brasil, com uma grande temporada – e, desta feita, foi o brasileiro Casemiro a faturar. Terceiro golo na Liga do médio emprestado pelo Real Madrid.

O Moreirense não baixou os braços. Novo duelo entre Battaglia e Fabiano a favor do guarda-redes. Pouco depois, o brasileiro do FC Porto tirou o golo a João Pedro. Os anfitriões pressionavam, os visitantes tentavam controlar o jogo.

Aos 80 minutos, deu-se o regresso de Brahimi à Liga depois da Taça das Nações Africanas e foi a derradeira nota a merecer destaque, numa partida com pouco mais de 4 mil nas bancadas e que, à altura, colocava alguma pressão para o dérbi do dia seguinte, em especial no líder.

Com o empate em Alvalade, o FC Porto ficou a quatro pontos do primeiro lugar e aumentou para três a vantagem sobre o terceiro. Na próxima jornada, o FC Porto recebe o Guimarães, que está em queda na tabela.

Já sem a estrela da primeira volta, Hernâni, transferido para o Dragão, os minhotos receberam a visita do Belenenses e estrearam Sami, ex-FC Porto B, no “onze”, e Breno. Os “azuis” estrearam Rui Fonte, o avançado ex-Benfica B.

Os vimaranenses entraram fortes, o Belenenses apareceu a espaços na primeira parte. Na segunda, intensificou-se a luta e colecionaram-se cartões amarelos. Aos 60 minutos, Rui Vitória mexeu nos minhotos com duas alterações. Mas foram os “azuis” a faturar. Carlos Martins recupera a bola no meio-campo defensivo, lança Rui Fonte, o avançado resiste à tentação da falta após toque de João Afonso, aguenta-se e já dentro da área devolve em bandeja de ouro bandeja ao médio também ex-benfiquista.

Carlos Martins finalizou a jogada que havia começado e marcou o primeiro golo da época. O veterano médio, de 32 anos, já não marcava no campeonato há quase 4 anos (desde 13 de fevereiro de 2011). O último golo foi pelo Benfica, contra o… Guimarães.

O Vitória saiu atrás do prejuízo, pressionou e os “azuis” abusaram das faltas. Numa delas, deu penálti sobre o uruguaio Jonatan Álvez. O melhor marcador da equipa, André André, desta vez, falhou. Mérito para Hugo Ventura, que defendeu e segurou o triunfo. Primeira derrota em casa dos minhotos, que são ultrapassados pelos rivais de Braga em vésperas de visitaram o FC Porto, num jogo onde não estará André André, que completou uma série de amarelos.

No Belenenses, Carlos Martins – expulso com duplo amarelo – e o central Gonçalo Brandão – também completou uma série de amarelos – falham igualmente a próxima jornada, em que terá o Sporting como visita ilustre no Restelo.

O Sporting de Braga conseguiu outra das quatro vitórias fora desta ronda. Aconteceu no Estoril, onde José Couceiro acabou por deixar de fora uma das sensações da equipa ‘canarinha” para esta segunda metade da época, Matheus, filho do antigo internacional brasileiro Bebeto.

A primeira parte foi dividida, com algumas chances de parte a parte. Na segunda parte surgiram os golos. Prémio para a eficiência minhota. Aos 56 minutos, Djavan trabalha na esquerda e serve Rúben Micael para um golo fácil. Cinco minutos depois, um livre de Pedro Santos desvia em Diogo Amado e fixa o 0-2.

Couceiro mexe na equipa, com a entrada de Fernandinho. Conceição responde quase de imediato, com o experiente Alan. O jogo termina pouco depois de Diogo Amado acertar no poste, o que simboliza a diferença desta partida equilibrada. Com o Braga a subir ao “quarto”, o Estoril caiu no décimo lugar, por troca com o Nacional, embora em igualdade pontual.

Os insulares deslocaram-se a Arouca e dividiram o protagonismo no jogo com mais golos desta ronda: Três para cada lado. Os do Nacional foram todos da autoria do venezuelano Rondon, que abriu e fechou o marcador. Pelo Arouca, houve bis do brasileiro Roberto. O empate consentido em casa vale apenas um pouco de ar à equipa de Pedro Emanuel, com a linha de água logo ali a dois pontos.

Em alta, nesta jornada, esteve o Gil Vicente. Ao quarto jogo depois de se estrear a ganhar na Liga, a equipa de José Mota conseguiu a segunda vitória e esta fora de portas. Os “galos” deslocaram-se ao Funchal e surpreenderam o Marítimo.

Ebinho ainda colocou a equipa de Leonel Pontes na frente do marcador, mas antes do intervalo, de penálti, João Vilela empatou. Na segunda parte, o nigeriano Tochukwu conseguiu a reviravolta com o sexto golo na presente Liga. Na próxima jornada, o Marítimo vai a Penafiel e o Gil recebe o Paços de Ferreira.

Estas duas outras equipas defrontaram-se, curiosamente, este fim de semana, na capital do móvel. Vitória da equipa de Paulo Fonseca, por 2-1, beneficiando de um autogolo de Hélder Ferreira, já depois de Rodrigo Galo ter falhado um penálti e João Martins, o irmão do agora “belenense” Carlos Martins, ter aberto o marcador para o Penafiel e Cícero empatado.

O Setúbal, por sua vez, recebeu a Académica. Um jogo de históricos, que passou sem muita história. Empate a zero, que deixa os estudantes sobre a linha de água, com os mesmos pontos do penúltimo, o Gil.

O Boavista, por fim, recebeu o Rio Ave. O jogo ficou marcado por dois penáltis e a alegada agressão de um adepto a um dos árbitros assistentes, que obrigou a intervenção policial ao intervalo. Os visitantes marcaram aos 9 minutos, pelo egípcio Hassam, que não festejou devido ao que se passou no jogo do Zamalek, no Egito. O empate para os axadrezados aconteceu já em período de descontos, por Tengarrinha.

Resultados da 20.a jornada:
Sporting-Benfica, 1-1
Estoril-Sp. Braga, 0-2
Arouca-Nacional, 3-3
P. Ferreia-Penafiel, 2-1
Guimarães-Belenenses, 0-1
Marítimo-Gil Vicente, 1-2
V. Setúbal-Académica, 0-0
Moreirense-FC Porto, 0-2