Última hora

Última hora

Milhares de romenos desesperados com empréstimos em francos suíços

Em leitura:

Milhares de romenos desesperados com empréstimos em francos suíços

Tamanho do texto Aa Aa

Na Roménia, há centenas de milhares de pessoas desesperadas e em risco de perderem as casas. Pediram empréstimos imobiliários em francos suíços, mas em janeiro o Banco Central helvético decidiu abandonar a taxa de câmbio em relação ao euro. O franco suíço disparou.

Daniela Gornea, 37 anos, pediu o equivalente a 65 mil euros para comprar um T3 em Bucareste, onde vive com as duas filhas.

As prestações absorvem agora quase todo o salário do marido. Para viver têm o equivalente a 70 euros:
“Penso que vou perder a casa. Não tenho outra escolha. Os 740 francos equivalem a 3700 (840 euros) ou a 3800 leu romenos. O salário são quatro mil leu (910 euros). Não podemos fazer planos. Para mim, é claro, vamos perder a casa”.

Na Hungria, o governo indexou os empréstimos em divisa estrangeira à moeda nacional, salvando muitas famílias.

As autoridades romenas ponderam fazer o mesmo, mas o FMI é contra. Entretanto, as famílias desesperam.

O conselheiro do governador do Banco Central, Adrian Vasilescu, adianta: “O Banco Nacional iniciou um diálogo com os bancos e pede-lhes que compreendam os clientes, que mantenham as postas abertas e a disponibilidade para negociar, caso a caso, que analisem cada situação, para encontrar soluções para os clientes”.

O casal Gornea obteve um acordo temporário com o banco. Por agora, mensalmente, paga praticamente só os juros.

O Banco Nacional Suíço adianta que os empréstimos em divisa helvética rondam 230 mil milhões de francos suíços em toda a Europa.

Na Polónia existem 550 mil empréstimos em francos suíços. Na Croácia são 60 mil.